PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Polícia identifica dois suspeitos por desaparecimento de soldado, diz TV

Soldado rodoviário Leandro Martins Patrocínio está desaparecido desde o último sábado - Reprodução TV
Soldado rodoviário Leandro Martins Patrocínio está desaparecido desde o último sábado Imagem: Reprodução TV

Do UOL, em São Paulo

04/06/2021 20h39

A polícia identificou dois suspeitos por desaparecimento de soldado Leandro Martins Patrocínio, de 30 anos, segundo informação divulgada pela TV Globo, na noite de hoje. Eles teriam deixado impressões digitais numa casa na comunidade de Heliópolis, zona sul da capital, usada supostamente como cativeiro. O soldado está desaparecido desde as 22h30 do último sábado (29), após entrar na favela.

A polícia fez pedido à Justiça para a prisão temporária de 30 dias dos dois suspeitos, de acordo com a emissora.

Leandro foi visto pela última vez na noite de sábado, após descer na estação Sacomã da linha 2-verde do metrô. Imagens de câmeras de segurança da região mostram o soldado caminhando a pé, sozinho, até entrar na favela de Heliópolis, conforme registrou o colunista do UOL Josmar Jozino.

O relógio dele foi encontrado — e reconhecido por familiares — em um sobrado ao lado de uma casa noturna da comunidade. No imóvel havia uma corrente de ferro e manchas de sangue em um colchão. Também foram apreendidos no local materiais usados para armazenar drogas.

Há informações de que o sobrado onde estava o relógio do soldado foi usado como cativeiro. A casa noturna ao lado do imóvel seria de um integrante do PCC preso na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, reduto de homens do alto escalão da facção criminosa. As investigações apontam que Leandro gastou R$ 12,00 no cartão e que pode ter ido a um baile funk antes de sumir.

A Polícia Civil recebeu denúncias anônimas informando que o soldado foi enforcado e que o corpo havia sido enterrado em um terreno da Petrobras situado nas proximidades da favela Heliópolis. Policiais militares do Corpo de Bombeiros realizam há dois dias buscas no local à procura de Leandro.

A favela de Heliópolis está cercada desde domingo por homens da Tropa de Choque da Polícia Militar. Até a noite de ontem havia informações de que dois suspeitos tinham sido mortos em tiroteios distintos com PMs.

A Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana estão usando cães farejadores para auxiliar nos trabalhos. Todos os batalhões do Comando de Choque estão mobilizados, inclusive o COE (Comando e Operações Especiais).

Cotidiano