PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Busca por suspeito de matar 4 da mesma família mobiliza polícias do DF e GO

Lázaro Souza disparou tiros contra policiais e se escondeu na mata, segundo a PMDF - Divulgação/Polícia Civil do Distrito Federal
Lázaro Souza disparou tiros contra policiais e se escondeu na mata, segundo a PMDF Imagem: Divulgação/Polícia Civil do Distrito Federal

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

13/06/2021 13h40Atualizada em 14/06/2021 13h30

Um homem suspeito de matar uma família no Distrito Federal é procurado por várias forças de segurança neste domingo (13). Equipes das polícias civil e militar da capital federal e de Goiás, além da Polícia Federal, realizam buscas desde a noite de ontem até a noite de hoje numa região de matagal de Cocalzinho (GO), no Entorno de Brasília. Nas redes sociais, o caso ganhou fama como sendo de um "serial killer em Brasília", mas a polícia afirma que não trabalha com essa nomenclatura.

"As 17 fazendas locais estão ocupadas por forças policiais para garantir a segurança da população", informou a Polícia Militar do DF na tarde de hoje. "As tropas estão no local fazendo o cerco."

O procurado é Lázaro Barbosa Souza, 33 anos. A PM do DF informou ao UOL que ele disparou 15 tiros contra policiais militares de Goiás em Cocalzinho. Os policiais dizem que, antes disso, ele feriu três chacareiros e roubou armas dos moradores.

Lázaro chegou a furtar um carro no meio da tarde de hoje, ainda de acordo com a PM do DF. No início da noite, ele foi abordado por policiais, mas conseguiu escapar, fugindo para uma área de matagal próximo a Edilândia, um povoado de Cocalzinho.

Quatro pessoas foram mortas em zona rural do DF

Na madrugada de quarta-feira (9), o empresário Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, e os filhos dele, Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, e Gustavo Marques Vidal, 21, foram encontrados mortos em uma chácara na região conhecida como Incra 9, em Ceilândia, no Distrito Federal. A esposa de Vidal, Cleonice Marques, 43, foi sequestrada, e seu corpo foi encontrado na tarde de sábado.

O principal suspeito dos crimes é Lázaro Souza, de acordo com a Polícia Civil do Distrito Federal. Antes de o corpo de Cleonice ser encontrado, a corporação divulgou sua foto como suspeito de triplo homicídio.

PM diz que suspeito fez refém no sábado

Segundo uma nota da PM do Distrito Federal divulgada na tarde deste domingo (13), Souza entrou na fazenda em Cocalzinho (GO), a cerca de 110 km da capital federal. O local pertencia à família de um soldado da PM de Brasília. "O criminoso (...) quebrou tudo na propriedade, bebeu e fumou maconha. Obrigou o caseiro a fumar também."

A polícia diz que, quando o soldado chegou em casa, Souza fugiu, levando o caseiro como refém. Ele teria se escondido numa fazenda ao lado, a 700 metros dali. Lá, "baleou três homens" da propriedade rural, local em que também moravam "uma criança e uma senhora".

Souza tentou incendiar residência, diz PM

"As testemunhas disseram que o criminoso ia colocar fogo na casa e não o fez por conta da mulher e de uma criança", continua a nota da Polícia Militar.

Um grupo de policiais militares de Goiás, a Rotam, chegou à fazenda para abordar o suspeito. Mas "houve a reação com 15 disparos de arma de fogo na direção" dos agentes de segurança, contou a PM do DF na nota. Dali, Souza fugiu para uma mata nas proximidades.

A PM de Brasília afirmou que Souza roubou um revólver calibre 32, "além de outras outras armas e munições, furtadas das fazendas".

Policiais seguem atrás do suspeito. A ação é coordenada pelos civis do Distrito Federal. Existem "inúmeras equipes" em busca do suspeito, segundo uma fonte da Secretaria de Segurança de Goiás. Apenas da PM de Brasília, foram deslocadas tropas da Polícia Ambiental, Patamo, Rotam e Gtop. A Polícia Federal e a PRF ajudam nas buscas.

Cotidiano