PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

'Pensei que eram roupas', diz pai de criança jogada de prédio por madrasta

Pai de menino contou que ele e mulher beberam e começaram a discutir momentos antes do crime - Reprodução/TV Gazeta/TV Globo
Pai de menino contou que ele e mulher beberam e começaram a discutir momentos antes do crime Imagem: Reprodução/TV Gazeta/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

24/05/2022 09h15Atualizada em 24/05/2022 14h25

O pai da criança de seis anos jogada do 4° andar de um prédio em Maceió, em Alagoas, afirmou que não percebeu que a esposa, que confessou o crime, segundo a polícia, havia arremessado o garoto. Ele afirma que em um primeiro momento pensou que ela tinha apenas atirado suas roupas pela janela.

O homem contou que os dois consumiram bebidas alcoólicas antes de iniciar uma discussão na madrugada de ontem. Em certo momento, ele relata que a suspeita falou que "iria matar ele agora". O pai afirma ter entendido que ela se referia a ele, e não à criança.

"Eu nunca imaginei que ela fosse capaz de fazer isso com o meu filho, não. A gente saiu pra se divertir um pouco, bebemos, e depois da confusão que teve, ela pegou e disse: 'Eu vou matar ele agora'; Aí eu pensei que fosse eu, que ela ia fazer isso comigo, entendeu? Mas não foi, ela falou isso já com o meu filho. Foi a hora que eu escutei o filho dela dizer assim: 'Mãe, isso não, mãe' e a 'zoada' lá embaixo. Mas eu pensei que era as minhas roupas, que ela tinha jogado", afirmou ele à TV Gazeta, afiliada da Globo.

A criança estava morando com o pai e a madrasta há oito meses, desde a morte da mãe.

Alguns moradores relataram que o casal e seus respectivos filhos tinham um relacionamento conflituoso e que a suspeita tinha ciúmes da criança com o pai, de acordo com depoimento do conselheiro tutelar Ewerton Pita, que acompanha o caso, ao canal local.

A madrasta, que não teve a identidade revelada pelas autoridades, admitiu que jogou a criança da janela do apartamento em que morava e afirmou que se arrepende do ato.

"Ele ficou ameaçando meu filho mais velho. Aí eu falei: 'Se você matar meu filho, eu mato o seu também'. Aí a gente discutindo, foi a hora que peguei o filho dele e joguei. E estou arrependida, porque o menino não tinha culpa de nada", afirmou ela à TV Gazeta.

Apesar da queda, o quadro de saúde do menino é considerado estável. Ele está internado no HGE, "com ferimentos causados por agressão corporal."

Cotidiano