PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Bezerra com 2 cabeças espanta moradores de fazenda: 'Nunca tinha visto'

Apesar dos esforços de dono da bezerra, animal morreu quatro dias após nascer   - Reprodução/Instagram
Apesar dos esforços de dono da bezerra, animal morreu quatro dias após nascer Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

22/07/2022 15h25Atualizada em 22/07/2022 15h25

O nascimento de uma bezerra com duas cabeças surpreendeu moradores de uma fazenda em Macaúbas, na Bahia. O caso ganhou atenção depois que o dono do animal, o vigilante Elidan Oliveira Souza, 36, postou um vídeo nas redes sociais pedindo orações pela vida do animal.

"Recebemos a notícia do rapaz que toma conta dos animais para a gente. Nós ficamos impressionados e procuramos saber o que fazer, perguntamos para ele se a bezerra precisava de alguma coisa e fomos até a fazenda com uma vitamina que o veterinário nos orientou a aplicar, porque ela estava debilitada", detalhou Elidan em entrevista ao UOL.

Por causa da anomalia, o filhote não conseguia ser amamentado por uma vaca e teve que receber o leite com um bico adaptado. O animal nasceu na segunda-feira (18), contudo, mesmo com os esforços da família do vigilante, acabou não resistindo, e morreu na manhã de ontem.

"Nunca tinha visto um caso desse, é raro. O veterinário iria vê-la no dia em que ela faleceu, não deu tempo", lamentou Elidan, que mantém três cabeças de gado no povoado Tapera do Peixe, na zona rural do município baiano.

Apesar de raro, casos como o da fazenda de Macaúbas não são inéditos. Em fevereiro de 2021, um bezerro de duas cabeças nasceu no município de Santa Cruz (RN).

Ele também sobreviveu ao parto, mas apareceu em imagens feitas por testemunhas deitado no chão, aparentemente debilitado. Na ocasião, o professor Barreto Júnior, do curso de Medicina Veterinária da Ufersa (Universidade Federal Rural do Semi-Árido), comentou o caso, afirmando que apesar da sobrevida é raro que animais com duas cabeças cheguem a idade adulta.

"Nos meus 52 anos só vi um animal chegar à vida adulta", afirmou o profissional.

"Essas teratologias normalmente são associadas a outros defeitos, que às vezes são limitantes para a vida, como má formações cardíacas, digestivas, etc. Isso exige muitos cuidados. O fato das duas cabeças pesarem impede que ele fique em pé quando novo, e isso por si já prejudica muito", explicou.

Cotidiano