Homem acusado de matar argentina em Búzios (RJ) vai a júri popular

A Justiça do Rio de Janeiro enviou a júri popular o réu por matar a facadas uma argentina em Búzios, em dezembro do ano passado.

O que aconteceu

O juiz da Vara de Armação dos Búzios considerou que o crime foi praticado "por meio cruel". Florencia Aranguren foi assassinada com 18 facadas em 6 de dezembro de 2023, enquanto fazia uma trilha na Praia de José Gonçalves com o seu cachorro.

A audiência do caso foi realizada no dia 30 de janeiro, e a defesa recorreu da decisão. Além de ouvir Carlos José de França, réu pelo crime, o tribunal colheu depoimento de 10 testemunhas de acusação e de uma de defesa.

Estão presentes, também, indícios de que o crime tenha sido praticado por meio cruel, consistente no golpeamento da vítima com diversas facadas ao longo do corpo, além do da utilização de meio que dificultou a defesa da vítima, que estava desarmada no momento do ataque.
Trecho da decisão que enviou o caso a júri popular

Habeas corpus que pedia a soltura de Carlos José de França foi negado. O advogado do denunciado, Luciano Gomes, alegou rapidez suspeita no andamento do processo e disse que faltavam provas periciais nos autos.

Para o desembargador da 8ª Câmara Criminal, elementos do pedido de prisão preventiva que indicaram a crueldade do crime servem como base para manter o réu preso. "A gravidade concreta da infração, estampada pelo seu modo de execução, indicando que o paciente desferiu diversos golpes de instrumento perfurocortante para ceifar a vida da vítima, evidenciam periculosidade latente", escreveu Gilmar Augusto Teixeira em um dos trechos da decisão.

Carlos José de França já tinha passagem na polícia por roubo e estupro de uma adolescente. O crime aconteceu no dia 11 de março de 2009, no município de Quipapá, na zona da mata de Pernambuco. Em 2014, ele foi condenado pela Justiça de Pernambuco a 20 anos, 6 meses e 15 dias de reclusão, inicialmente em regime fechado. O Tribunal de Justiça de Pernambuco não informou se a pena foi convertida em regime semiaberto.

Relembre o caso

Florencia Aranguren estava fazendo uma trilha em direção à praia de José Gonçalves com o cachorro no momento do crime. O animal, que permaneceu com a tutora, começou a latir, o que atraiu a atenção dos vizinhos, conforme relatado pelo programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes.

Continua após a publicidade

Imagens de câmeras de segurança mostram a vítima às 7h05 caminhando com o seu cachorro, em uma estrada no bairro José Gonçalves. Cerca de 23 minutos depois, um homem é visto passando pelo mesmo local de bicicleta.

A Polícia Militar foi ao local do crime e começou as buscas, resultando na captura de Carlos José de França. Quando o homem foi levado para perto do cachorro, o animal reagiu, tentando atacá-lo. Ele foi preso em flagrante por homicídio e, depois, a prisão foi convertida para preventiva.

Deixe seu comentário

Só para assinantes