Conteúdo publicado há 25 dias

Mãe de criança com deficiência usou valores doados em plástica, diz polícia

Ana Vitória Alves dos Santos, mãe da criança de 2 anos com paralisia cerebral cujos pais são suspeitos de desviar doações feitas à filha, teria utilizado parte do dinheiro para realizar cirurgias plásticas.

O que aconteceu

Ana Vitória teria feito intervenções estéticas no corpo com valores arrecadados via doações de pessoas sensibilizadas com o problema de saúda de sua filha. Ao UOL, a delegada Aline Lopes explicou que essa denúncia está sendo investigada. Entretanto, não foi informado quais os procedimentos estéticos que a mulher teria feito, nem os valores pagos.

Pais da criança são investigados por, supostamente, desviarem o dinheiro doado e por maus-tratos. Além de Ana Vitória, o pai da menina, o influenciador Igor Viana, também é alvo da Polícia Civil de Goiás.

Igor usava suas redes sociais para arrecadar doações. O pai da menina, que se identifica como influenciador e acumula milhares de seguidores, costumava mostrar a filha nas plataformas digitais para sensibilizar as pessoas que o acompanhavam online.

Ana e Igor são separados. Os dois teriam acabado a relação recentemente e determinaram que a criança ficaria sob os cuidados do pai. O acordo não foi selado perante a Justiça, apenas informalmente entre os dois.

Conselho Tutelar tirou a criança da guarda do pai. Nesta terça-feira (25), conselheiros entregaram a menina aos cuidados da avó paterna. Durante a ação, Igor teria debochado e feito piadas com os conselheiros, segundo a delegada.

Igor chamou seguidores de 'trouxas'

Viana debochou dos seguidores que fizeram doações para os cuidados de sua filha. ''Se eles [seguidores] foram trouxas, a culpa não é minha'', afirmou ele em áudio áudio ao qual a Polícia Civil de Goiás teve acesso, e enviados ao UOL.

Continua após a publicidade

O pai ainda disse que tem vontade de largar a filha no orfanato. ''Minha filha tem paralisia cerebral, mas ela é super chata. Não imaginava que uma criança que tem 10% do cérebro funcionando fosse tão chata e pudesse me dar tanto problema'', acrescentou.

Igor alegou que não considera que desviou o dinheiro. ''Não sou obrigado a usar o dinheiro que eles mandam especificamente com a minha filha. Também tenho necessidades a serem supridas, sou um ser humano'', argumentou.

Eu não considero que eu desviei o dinheiro, até porque as pessoas enviavam o dinheiro para minha conta, minha filha não tem Pix. Se eles foram trouxas, a culpa não é minha. Eu não sou obrigado a usar o dinheiro que eles mandam especificamente com a minha filha. Eu também tenho necessidades a serem supridas, sou um ser humano.
Igor Viana

O UOL tentou contato com Igor por telefone, mas não obteve retorno. A reportagem não conseguiu localizar a defesa de Ana Vitória. O espaço segue aberto para manifestação.

Suspeito de desvio e maus-tratos

Igor Viana se identifica nas redes sociais como "Pai da Soso" e "servo do Deus vivo". O influenciador acumula milhares de seguidores nas plataformas digitais, em que relata a rotina com a filha com paralisia cerebral, além de usá-las para angariar doações que, supostamente, seriam revertidas para os cuidados da criança.

Continua após a publicidade

Viana se tornou alvo de investigação em 19 de junho, após denúncias serem feitas contra ele na delegacia de Anápolis. Segundo a delegada responsável pelo caso, Aline Lopes, as primeiras queixas contra Igor foram por maus-tratos devido ao modo como ele trata a filha nos próprios vídeos.

Pai chamou a filha de "criança inútil do car**** em uma trend" nas plataformas, conforme a delegada. Ao UOL, Lopes explicou que, dentro do contexto em que Igor é investigado, esse tratamento destinado à menina pode se caracterizar como crime de maus-tratos. Na bio de seu perfil no Instagram, Igor afirma que "Deus dá crianças especiais para pais especiais".

Essa fala dele pode ser encarada tanto como constrangimento de criança, quanto ao crime de incitação à discriminação de pessoa com deficiência. Além disso, no contexto em que ele está sendo investigado, pode se caracterizar o crime de maus-tratos.
-- Aline Lopes, delegada da PCGO

Pais trabalham com internet, mas não têm renda fixa. Ainda segundo a investigação, Igor e a ex-companheira teriam como principal fonte de renda as doações feitas para a filha, que seriam desviadas para o usufruto pessoal dos dois. "Estamos apurando se o dinheiro foi utilizado para algo que não seja os cuidados da menina", explicou Aline Lopes.

Igor está proibido de exibir a filha nas redes sociais. Nos stories de seu perfil no Instagram, o influenciador informou aos seguidores que o Conselho Tutelar de Anápolis o proibiu de mostrar a criança. Ele ressaltou que, "a partir" dessa determinação, Sosa aparecerá "apenas no programa por assinatura" que ele mantém de forma privada. O print dessa mensagem de Igor foi enviada à reportagem pela delegada.

Igor e a ex-companheira serão intimados a depor para prestar esclarecimentos sobre as denúncias feitas contra eles. Os dois são suspeitos de constrangimento de menor, estelionato, discriminação à pessoa com deficiência e apropriação de bens proventos de pessoa com deficiência.

Deixe seu comentário

Só para assinantes