Topo

Vazamento de óleo no golfo do México é contido pela primeira vez, diz BP

Do UOL Notícias

Em São Paulo

15/07/2010 17h00Atualizada em 15/07/2010 21h11

A gigante britânica petroleira British Petroleum (BP) anunciou esta quinta-feira (15) que conseguiu conter o vazamento de petróleo no golfo do México pela primeira vez desde abril, com o fechamento de todas as válvulas do novo dispositivo colocado sobre o duto danificado, informou um alto funcionário da companhia.

Kent Wells, o vice-presidente senior de exploração e produção da BP disse a jornalistas que o novo dispositivo fechou por completo o vazamento enquanto a companhia conduz um teste crítico de pressão.

A BP foi reduzindo o vazamento aos poucos como parte dos testes de pressão. Engenheiros agora monitoram a pressão para verificar se o vazamento será bem contido.

Para o presidente dos EUA, Barack Obama, a novidade é um "bom sinal". O governo americano calcula que entre 35 mil e 60 mil barris de petróleo estavam vazando diariamente do poço.

Para ir adiante com o teste, os especialistas do governo exigiram que a BP faça análises adicionais do leito marinho, assim como comprovações acústicas e de temperatura.

A solução permanente para conter o vazamento é a injeção de cimento e barro pesado por meio de um poço alternativo escavado pela empresa.

Na terça-feira (13), a Agência Internacional de Energia (AIE) estimou que o naufrágio da plataforma Deepwater Horizon, no dia 22 de abril, havia provocado o vazamento de 2,3 e 4,5 milhões de barris de petróleo no golfo do México.

A título de comparação, no naufrágio do Exxon Valdez no Alasca em 1989, entre 58 e 112 vezes menos petróleo foi despejado no mar.

O vazamento no golfo do México é o pior desastre ambiental da história americana. Desde a explosão da plataforma Deepwater Horizon, diversas estratégias para conter o fluxo de petróleo fracassaram.

A BP afirma que já gastou US$ 3,5 bilhões nas operações em resposta ao vazamento, desde a explosão da Deepwater Horizon.
 

Assista ao local do vazamento ao vivo

 * Com as agências internacionais

Mais Internacional