Evo Morales diz que "guerra suja" nas redes sociais causou derrota em referendo

Do UOL, em São Paulo

  • Francois Mori/AP

O presidente boliviano Evo Morales, no poder desde 2006, reconheceu nesta quarta-feira (24) sua derrota no referendo do último domingo, que o impede de se candidatar a um quarto mandato consecutivo, entre 2020 e 2025.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da Bolívia confirmou no fim da noite de terça o triunfo do "Não" no referendo, com 51,31% dos votos contra 48,69% do "Sim", com 99,49% das urnas apuradas.

"Respeitamos os resultados, faz parte da democracia", afirmou Morales em uma coletiva de imprensa no Palácio Quemado em La Paz. "Perdemos a batalha, mas não perdemos a guerra", acrescentou, dizendo que o MAS (Movimento ao Socialismo), seu partido, venceu "todas as batalhas, com exceção deste referendo".

Segundo o presidente boliviano, a derrota ocorreu por causa de "uma guerra suja nas redes sociais, com muitas mentiras", protestou Morales. Ele também afirmou que decidir a modificação na constituição não é o mesmo que votar por um candidato, acrescentando que seu partido tem 50% dos votos no país.

"Vamos continuar, com os movimentos sociais e o povo boliviano. A luta segue", declarou.

O referendo

O triunfo apertado do "Não" sobre o "Sim" é uma rejeição à proposta do governo de modificar um artigo da Constituição para ampliar o número de mandatos presidenciais consecutivos permitidos de dois para três.

Morales e seu vice-presidente, Álvaro García Linera, pediram apoio à proposta com a intenção de concorrerem outra vez no pleito de 2019 para buscar um quarto mandato consecutivo até 2025.

Ambos governam a Bolívia desde 22 de janeiro de 2006, assumiram seu segundo mandato em 2010 e o terceiro em 2015.

A dupla presidencial pôde se apresentar ao pleito de 2014 graças a uma decisão do Tribunal Constitucional que aprovou que seu primeiro mandato (2006-2010) não entrou na conta porque o país teve uma nova Constituição promulgada em 2009.

Morales, cujo terceiro mandato será concluído em janeiro de 2020, antecipou há poucos dias que se o "Não" vencesse, seu partido, o Movimento Ao Socialismo (MAS), concorreria no pleito de 2019 com outros candidatos. (Com agências internacionais)

Evo Morales perde referendo e não poderá tentar 4º mandato

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos