Polícia belga mata suspeito em operação sobre ataques de Paris

Do UOL, em São Paulo

  • Yves Herman/Reuters

    15.mar.2016 - Policiais atuam em operação antiterrorismo em Bruxelas (Bélgica)

    15.mar.2016 - Policiais atuam em operação antiterrorismo em Bruxelas (Bélgica)

Ao menos uma pessoa foi morta e quatro policiais belgas e uma policial francesa foram feridos em um tiroteio, nesta terça-feira (15), no distrito de Forest, em Bruxelas, durante uma operação antiterrorista relacionada aos atentados de Paris em 13 de novembro de 2015, segundo informações da Procuradoria Federal, da polícia e da imprensa europeia. Dois suspeitos de envolvimento com os ataques estariam foragidos. 

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, informou em rápida entrevista a jornalistas que as ações policiais estão em andamento após "buscas de rotina" terminarem em troca de tiros entre a polícia e suspeitos armados.

"As operações continuam", disse o primeiro-ministro, comentando os incidentes em que "quatro de nossos agentes ficaram levemente feridos". Uma policial francesa que participava da "busca de rotina" também ficou ferida.

Diversas ruas foram fechadas ao tráfego de carros e de pedestres na capital belga. A polícia pediu que moradores ficassem em suas casas, e uma escola primária próxima ao local da troca de tiros foi fechada, disseram testemunhas locais.

Um homem abriu fogo contra os policiais e fugiu, afirmou o porta-voz da polícia do bairro de Midi, responsável pelos distritos de Forest, Anderlech e Saint-Gilles.

O prefeito do distrito, Marc-Jean Ghyssels, que está dentro do perímetro de segurança da área isolada, confirmou o tiroteio e indicou que "não foi determinado ainda o número de pessoas que fugiram", afirmou ao jornal "Le Soir".

Segundo o jornal "La Dernière Heure", duas pessoas teriam fugido pelos telhados das casas, o que não foi confirmado pela polícia de Midi. 

Vários dos suspeitos dos atentados de Paris em novembro do ano passado, nos quais 130 pessoas morreram, viviam na capital belga. Lá foi perdido o rastro, um dia após os ataques, de Salah Abdeslam, um dos suspeitos-chave.

Desde então, autoridades belgas realizam operações do tipo. Em uma delas, descobriu um apartamento belga utilizado pelos supostos autores dos ataques para construir explosivos.

A Bélgica deteve 11 pessoas dentro desta investigação de terrorismo.

A mídia belga informa que a operação desta terça-feira ainda tem relação com a busca de pessoas que possam ter se envolvido nos ataques franceses.

Abdeslam não é alvo

O suspeito mais procurado no quadro do inquérito dos atentados terroristas de Paris em novembro passado, Salah Abdeslam, não era visado pela operação antiterrorista em Bruxelas. "A operação não visava Salah Abdeslam, mas sim próximos de um ou mais dos 11 acusados" na Bélgica, segundo fontes policiais francesas indicaram à agência France Presse.

Salah Abdeslam, de 26 anos, é suspeito de ter tido um papel-chave na logística nos ataques em Paris. Salah e seu amigo Mohamed Abrini, nascido, como ele, na comuna de Molenbeek, em Bruxelas, ainda não foram encontrados. (Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos