PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ex-mulher diz que sequestrador de avião batia nela e nos filhos

Algemado, Seif Mustafa faz o sinal da vitória ao deixar tribunal em Larnaca, no Chipre - George Michael/AFP
Algemado, Seif Mustafa faz o sinal da vitória ao deixar tribunal em Larnaca, no Chipre Imagem: George Michael/AFP

Do UOL, em São Paulo

31/03/2016 12h40

A ex-mulher do homem que, segundo autoridades do Chipre, admitiu ter sequestrado o avião da companhia EgyptAir na última terça-feira afirmou que seu ex-marido é "extremamente perigoso", aterrorizava a família e batia nela e nos filhos.

Em declarações ao jornal "Phileleftheros", a cipriota Marina Paraschou rejeitou insinuações de que o sequestro do Airbus A320 tenha tido motivações românticas.

Seif al-din Mustafa, 59, tomou o controle da aeronave, que fazia a rota Alexandria-Cairo, com 72 passageiros e tripulantes, afirmando estar com um cinturão de explosivos que depois se mostrou ser falso. Ele forçou o desvio da rota para o Chipre para, supostamente, rever a mulher e os fiilhos.

"Quando alguém fica sem ver sua família durante 24 anos e quer ver sua esposa e seus filhos, e o governo egípcio não o permite, o que deve fazer?", disse ele à polícia do Chipre em um comunicado.

31.mar.2016 - Marina e Seif no dia do casamento - Arquivo pessoal/Reprodução - Arquivo pessoal/Reprodução
Marina e Seif no dia do casamento
Imagem: Arquivo pessoal/Reprodução

Paraschou, porém, disse que Mustafa sequer pediu para falar com ela. 

"Esse homem nunca se importou com seus filhos", disse ela na entrevista, segundo o jornal britânico "The Guardian". "Ele só tinha dor, tristeza e terror a oferecer. E mesmo agora, com ele sob custódia policial, eu e meus filhos temos medo."

Paraschou e Mustafa se casaram em 1985 e se divorciaram cinco anos depois, segundo o relato dela. 

Enquanto estiveram casados, eles viveram na casa dos pais dela. Mustafa tinha dificuldades para se manter em um trabalho por muito tempo e agredia a família quando tinha dificuldade em manter o vício em drogas, contou. 

Mustafa tem uma longa ficha criminal, segundo autoridades egípcias e cipriotas, com ofensas que vão desde a falsificação de passaportes a violência doméstica contra a ex-mulher.

Na última quarta-feira, um tribunal de Larnaca (Chipre) ordenou que ele seja mantido sob custódia durante oito dias sob acusação de sequestro, ameaça de violência, delitos relacionados a terrorismo e duas acusações relacionadas à posse de explosivos.

Essas últimas acusações têm relação com a afirmação do acusado de estar levando explosivos, embora o cinturão fosse falso.

Internacional