Polícia britânica divulga imagem do suspeito no dia do ataque em Manchester

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Greater Manchester Police/AP

    Imagem divulgada pela polícia britânica, feita a partir de vídeo de câmeras de segurança, mostra Salman Abedi

    Imagem divulgada pela polícia britânica, feita a partir de vídeo de câmeras de segurança, mostra Salman Abedi

A polícia britânica divulgou, neste sábado (27), uma foto de Salman Abedi feita na noite em que matou 22 pessoas, em um atentado suicida em Manchester, na Inglaterra. Segundo a polícia, a bomba foi feita no apartamento dele, no centro da cidade.

A explosão, ocorrida na segunda-feira (22) do lado de fora do auditório da Manchester Arena pouco após o show da cantora Ariana Grande, às 22h35 locais, (18h35 de Brasília). 

"Sabemos que um dos últimos lugares em que Abedi esteve foi no apartamento no centro da cidade, e de lá ele saiu a caminho da Manchester Arena", informaram representantes da polícia, em comunicado.

"O apartamento é um local altamente relevante, onde acreditamos que foi feita a montagem final do explosivo."

Os oficiais disseram já ter reunido informações significativas sobre Abedi --um britânico de 22 anos filho de pais líbios--, como a bomba foi construída, seus comparsas, sua situação financeira e os lugares onde esteve.

Segundo a polícia, ainda há cerca de 1.000 funcionários envolvidos na investigação e a prioridade é determinar se há mais pessoas envolvidas no planejamento do ataque.

Este é o pior atentado à bomba do Reino Unido desde os ataques no sistema de transportes de Londres de 2005, que deixaram 52 mortos. Naquela ocasião, quatro jovens muçulmanos britânicos detonaram explosivos em três vagões do metrô e um ônibus em Londres. Mais de 700 pessoas ficaram feridas.

Menina de 8 anos está entre as 3 vítimas já identificadas em Manchester

  •  

Reino Unido reduz alerta

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou neste sábado (27) a redução do nível de alerta de terrorismo no país de "crítico" para severo", indicando um risco possível, mas não iminente de ataques terroristas. Ela afirmou, porém, que o Reino Unido deve manter-se em alerta.

O nível havia subido para "crítico" após o ataque terrorista em Manchester. Desde então, a polícia britânica fez diversas prisões e acredita ter desmantelado a rede por trás de Abedi.

O último ataque do tipo foi há dois meses, no centro de Londres, quando um homem atropelou vários pedestres na ponte de Westminster e tentou invadir o Parlamento armado de uma faca, matando, ao todo 5 pessoas e ferindo outras 50.

(Com Reuters e BBC)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos