Topo

Sobe para 35 o número de mortos em incêndios na Califórnia

Bombeiros caminham em via deserta de moradias destruídas na cidade de Santa Helena - Elijah Nouvelage/Getty Images/AFP
Bombeiros caminham em via deserta de moradias destruídas na cidade de Santa Helena Imagem: Elijah Nouvelage/Getty Images/AFP

Do UOL, em São Paulo

14/10/2017 03h44Atualizada em 15/10/2017 08h55

Subiu para 35 o número de mortos nos incêndios florestais na Califórnia, segundo o jornal "Los Angeles Times". A informação é da noite desta sexta-feira (13). Ao todo, cerca de 5,7 mil construções, a maioria casas, em várias cidades do Estado, foram destruídas até agora, segundo a publicação.

Os bombeiros continuam trabalhando para conter focos de incêndio, ou nos trabalhos de resgate a vítimas. Segundo o jornal, é esperado que o número de vítimas fatais suba à medida que os esforços de busca se acentuam.

"Nós não saímos do estado de emergência, (não chegamos) nem perto disso, mas estamos vendo algum progresso em algumas áreas", disse Mark Ghilarducci, diretor do Serviço de Emergência do gabinete do governador, em entrevista coletiva à imprensa.

As três últimas vítimas identificados foram foram encontradas no Vale de Redwood, no município de Mendocino: Kai Logan Shepherd, 14; Roy Howard Bowman, 87; e sua esposa, Irma Elsie Bowman, 88.

Segundo informação do gabinete do xerife de Mencocino ao jornal "Daily Journal", o menino estaria tentando fugir quando foi cercado pelas chamas.

O chefe dos bombeiros da Califórnia, Ken Pimlott, declarou que mais de 9.000 bombeiros estavam tentando conter 17 focos de incêndio que, juntos, já consumiram um total de 89.700 hectares desde o último domingo (8).

Segundo ele, pode levar semanas até que os investigadores consigam chegar a uma conclusão a respeito da causa do incêndio, que até o momento já é considerado o que mais causou mortes em toda a história da Califórnia.

Muitas cidades da região vinícola de Napa e Sonoma, Califórnia, continuam sob ordens de evacuação, nas quais centenas de pessoas já perderam suas casas por causa do incêndio. (Com agências internacionais)

Mais Internacional