Topo

Vídeo de passageiro mostra acidente durante decolagem de avião da Aeroméxico

Do UOL, em São Paulo

01/08/2018 13h52

Um passageiro filmou o acidente do avião da Aeroméxico, na tarde de terça-feira (31), enquanto a aeronave decolava na cidade de Durango, no norte do México. O acidente não deixou mortos entre os 99 passageiros e quatro tripulantes.

    O vídeo foi publicado pelo site especializado The Aviation Herald e mostra a aeronave iniciando a decolagem em meio a uma tempestade que atingia o aeroporto Guadalupe Victoria naquele momento (15h30 em Durango, 17h30 no horário de Brasília). Dentro da cabine, o primeiro grande barulho captado no vídeo é do impacto do avião em solo, seguido do grito de passageiros.

    Veja mais:

    Segundo o governo do estado de Durango, o avião, um E190 da Embraer que faria a rota AM2431, decolou do aeroporto rumo à Cidade do México e caiu pouco depois, a cerca de 300 metros da pista. A aeronave teria sido atingida por uma forte rajada de vento, que fez com que ela perdesse altura bruscamente, de acordo com o governo.

    O avião caiu em posição horizontal, o que permitiu a ativação dos tobogãs de segurança e a evacuação dos passageiros. Logo em seguida, teve início um incêndio, e os passageiros tiveram que fugir rapidamente da aeronave.

    Nesta quarta, a Aeroméxico informou que 64 pessoas já tinham recebido alta de hospitais locais, sem detalhar se ainda há passageiros ou tripulantes recebendo atendimento no momento. De acordo com a agência EFE, uma garota com queimaduras de primeiro e segundo grau é indicada como o caso de maior gravidade. O piloto, Carlos Galván Meyran, passou por cirurgia na noite de terça e hoje seu estado é estável, segundo a agência. 

    "Pegou fogo em questão de segundos"

    Os passageiros relataram a fuga do avião logo após o acidente. "Foi muito, muito feio", disse Lorenzo Núñez, de Chicago, ouvido pela agência Associated Press. Ele escapou do avião em chamas com a esposa e seus dois filhos. "Ele pegou fogo em questão de segundos", disse.

    Segundo Alberto Herrera, 35, em entrevista à AP, o avião subiu rapidamente ao ar antes de voltar ao chão e bater com a parte de baixo da fuselagem depois dos limites da pista.

    "Começou a ganhar a velocidade e, logo depois de iniciar a decolagem, de repente, o avião começou a ser atingido por granizo. Enquanto subíamos em direção à tempestade, o avião começou a balançar muito e logo depois bateu no chão."

    Herrera contou que o incêndio nas asas o obrigou a escapar por uma saída traseira, ajudando outros passageiros a deixar a aeronave. Muitos voltaram à pista para aguardar pelos veículos de emergência.

    A passageira Jaqueline Flores, 47, contou a jornalistas sobre os momentos de angústia antes e durante o pouso forçado. Mexicana moradora de Bogotá, na Colômbia, ela disse ter perdido passaporte e documentos no incêndio, mas agradeceu por ter sobrevivido junto com a filha de 16 anos. "Sinto-me abençoada e agradecida a Deus."

    Segundo ela, o avião começou a decolagem às 15h09.

    "Acionaram as turbinas, senti a força do avião para decolar, mas ainda na pista já não havia visibilidade. Quando subimos, logo entramos nas nuvens e na tempestade. Senti que ele iria manobrar para se estabilizar, mas aí caiu", disse. 

    A passageira afirmou que o avião bateu na pista e foi parar em um terreno cheio de mato. "Enquanto ele deslizava [pelo chão], caíram todas as bagagens no corredor (...) e as pessoas foram jogadas para frente e para trás", contou Flores.

    "Quando o avião parou, havia um buraco [na fuselagem] exatamente ao nosso lado. Estávamos nas poltronas 8A e 8B e saímos na altura da [fileira] 10, onde estava aberto. O avião se partiu e, como havia fogo, disse à minha filha: 'vamos pular por ali'. E saltamos", relatou. Segundo ela, uma garota saiu do avião chorando porque suas pernas ficaram queimadas.

    Investigação

    O aeroporto de Durango suspendeu durante horas suas operações e centenas de pessoas sofriam com o atraso dos voos. O local do acidente foi isolado e as autoridades vão analisar a caixa preta e as gravações para determinar as causas do acidente.

    A Aeroméxico emitiu um comunicado no qual "lamenta profundamente este acidente" e se diz "concentrada em resolver esta situação e fazer todo o possível para auxiliar nossos clientes e suas famílias".

    O avião "estava em perfeita manutenção" e contava com "todos os padrões de segurança em nível internacional", disse a empresa, acrescentando que a aeronave, de dez anos, operava há quatro anos na companhia mexicana.

    A Embraer divulgou um comunicado dizendo lamentar o ocorrido. "A Empresa já se colocou à disposição das autoridades aeronáuticas para auxiliar nas investigações e uma equipe de técnicos da Embraer prepara-se para deslocar-se para o local do acidente", diz o texto.

    (Com AP, AFP e Reuters)

    Mais Notícias