PUBLICIDADE
Topo

Cidade do Alasca ficará até janeiro sem ver o Sol

Reprodução/Twitter
Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

21/11/2018 22h02

A pequena Utqiavik está no escuro e assim ficará pelos próximos dois meses. Localizada no extremo norte do Alasca (EUA), a cidade viu o Sol pela última vez no dia 18 de novembro e, segundo previsões do tempo, apenas voltará a vê-lo em 23 de janeiro. 

A escuridão se deve a um fenômeno conhecido como "noite polar", que afeta a região do Círculo Polar Ártico no inverno. Nessa época do ano, os raios solares mal atingem o extremo norte do planeta, devido à inclinação da Terra.

Utqiavik está localizada a mais de 500 quilômetros da linha imaginária que define o Círculo Polar Ártico --o que significa que a cidade não ficará no escuro completo. Permanece o que a geociência chama de "crepúsculo civil", quando o centro do Sol está localizado a seis graus abaixo da linha do horizonte. A luz prevalente dura cerca de seis horas nos primeiros dias e permite uma visibilidade razoável. Próximo ao Natal, ela durará por apenas três horas.

A partir de maio, por sua vez, os 4.400 residentes da cidade, a maior parte deles indígenas, terá que lidar com 80 dias sem pôr do sol --também conhecido como Dia Polar ou Sol da Meia-Noite. Não que já não estejam mais do que acostumados.