PUBLICIDADE
Topo

Maduro manda fechar a fronteira da Venezuela com o Brasil

Talita Marchao*

Do UOL, em São Paulo

21/02/2019 14h25Atualizada em 23/02/2019 11h22

O ditador Nicolás Maduro ordenou hoje o fechamento da fronteira terrestre da Venezuela com o Brasil. O anúncio acontece dois dias antes da data prevista para que líderes da oposição a Maduro levem ajuda humanitária ao país. O governo federal anunciou que essa ajuda seria transportada a partir de Pacaraima, em Roraima, cidade na fronteira pela qual têm entrado milhares de venezuelanos em território brasileiro fugindo da crise.

Segundo o pronunciamento de Maduro, o fechamento da fronteira ocorrerá a partir das 20h de hoje (horário de Caracas; 21h em Brasília). Maduro disse ainda que pode adotar a mesma medida na fronteira venezuelana com a Colômbia, na cidade de Cúcuta, onde toneladas de ajuda humanitária enviadas pelos EUA aguardam permissão para entrar em solo venezuelano.

As doações, tanto a partir da fronteira brasileira quanto da colombiana, contam com a coordenação do governo dos Estados Unidos. Colômbia e Brasil cederam seus territórios para que as operações sejam realizadas.

A partir das 20h de hoje, quinta-feira, 21 de fevereiro, fica fechada, total e absolutamente até novo aviso, a fronteira terrestre com o Brasil. Mais vale prevenir do que lamentar. As provocações precisam ser trabalhadas com tempo para serem desmontadas. Simples assim. Tomando decisões, vamos avançando

Nicolás Maduro, durante pronunciamento na televisão

Ao anunciar o fechamento, Maduro não citou o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.

A Venezuela viu ampliar sua crise política desde que Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino do país, em 23 de janeiro. Desde então, cerca de 50 países --Brasil incluído-- reconheceram Guaidó como presidente do país. Guaidó estabeleceu como prioridade a entrada da ajuda internacional para atender a 250 mil pessoas em situação de vulnerabilidade e prometeu que esses mantimentos entrarão no país no próximo sábado, apesar dos bloqueios montados por Maduro.

O líder chavista criticou a medida, que chamou de "show" para invadir o país militarmente e tirá-lo do poder. Ambos os políticos anunciaram apoios de artistas.

Ajuda do Brasil

Procurada pelo UOL, a embaixadora designada para o Brasil pelo presidente interino Juan Guaidó, María Teresa Belandria, afirmou que o envio da ajuda humanitária a partir do Brasil está mantido. Maduro não mantém embaixador no Brasil desde 2016.

A embaixadora venezuelana indicada pelo opositor afirmou ainda que foram definidos ontem com as autoridades brasileiras todos os procedimentos para realizar a operação de transporte da ajuda humanitária, que está planejada para ocorrer no sábado.

mapa fronteiras fechadas -  -
Tanto os caminhões como os motoristas envolvidos no traslado da ajuda humanitária serão venezuelanos, e o controle completo da operação está a cargo das autoridades brasileiras. O plano prevê que até cem toneladas de ajuda composta por alimentos, medicamentos e kits de emergência serão levados de Boa Vista até a fronteira.

Segundo a Folha, os EUA querem que o Brasil use força militar para entregar a ajuda humanitária. Entretanto, os militares brasileiros resistem à ideia por temer que a situação escale para um conflito.

Enquanto Maduro anunciou o fechamento da fronteira brasileira, Juan Guaidó seguia para a fronteira colombiana, para assegurar que a ajuda humanitária que aguarda o transporte na cidade de Cúcuta entre em solo venezuelano.

O anúncio do fechamento da fronteira foi feito no mesmo dia em que o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, se reuniu com o governador de Roraima, Antonio Denarium. Hoje, o governador confirmou que o fechamento da fronteira já está em vigor.

Procurada pelo UOL, a Presidência da República afirmou que não irá se manifestar sobre o assunto. Ontem, Maduro já tinha anunciado a suspensão das saídas de embarcações de todos os portos do país.

* Colaborou Luciana Amaral, do UOL, em Brasília

Internacional