Topo

Laboratório que armazena vírus da varíola explode na Rússia

Centro Estatal Russo de Pesquisa em Virologia e Biotecnologia, Vector, na Sibéria - Reprodução
Centro Estatal Russo de Pesquisa em Virologia e Biotecnologia, Vector, na Sibéria Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

17/09/2019 14h04

Uma explosão causou um incêndio ontem em um laboratório russo que armazena amostras do vírus da varíola, doença erradicada na década de 1980, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

A varíola é considerada uma das primeiras doenças conhecidas pela humanidade. No século 20, matou de 300 a 500 milhões de pessoas no mundo todo.

De acordo com a rede de televisão americana CNN, a explosão ocorreu durante trabalhos de reparo de uma sala de inspeção sanitária do Centro Estatal Russo de Pesquisa em Virologia e Biotecnologia, conhecido como Vector, perto da cidade de Novosibirsk, na Sibéria.

Um funcionário ficou ferido e está em tratamento intensivo por causa das queimaduras. Em seu comunicado, segundo a CNN, a Vector disse que nenhum material de risco biológico estava sendo armazenado na sala onde ocorreu a explosão.

O prefeito da cidade também reafirmou que o incidente não representa ameaça biológica para a população local.

Fundado em 1974, o local ficou conhecido por desenvolver pesquisas sobre armas biológicas durante a Guerra Fria. Atualmente, é um dos maiores centros de pesquisa do mundo, desenvolvendo vacinas e ferramentas para diagnóstico e tratamento de doenças infecciosas.

Os cientistas do centro trabalham em vacinas para gripe suína, HIV e ebola. Além dele, o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos é o único laboratório autorizado a armazenar o vírus.

Mais Internacional