PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro diz que gostaria que Brasil integrasse a Opep

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) em fórum de investidores na Arábia Saudita,  - Hamad I Mohammed/Reuters
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) em fórum de investidores na Arábia Saudita, Imagem: Hamad I Mohammed/Reuters

Luciana Amaral

Do UOL, em Riad, na Arábia Saudita

30/10/2019 06h11

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarou hoje em evento a investidores na Arábia Saudita que gostaria que o Brasil integrasse a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo).

No entanto, disse não haver ainda nenhuma decisão nesse sentido e precisaria conversar com os ministros de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e da Economia, Paulo Guedes.

A declaração foi dada quando a mediadora, a investidora saudita Lubna Olayan, o questionou sobre a evolução do setor de óleo e gás no Brasil. Ele citou os leilões de exploração de petróleo programados para novembro e que o Brasil pode se tornar o quinto ou sexto maior produtor de petróleo do mundo em até 15 anos.

Bolsonaro falou que "alguns falam até em [o Brasil] integrar a Opep" e não parecia se estender no assunto. Neste momento, Olayan disse que o ministro brasileiro do setor deveria adorar a iniciativa. Bolsonaro então riu e disse que o governo poderia discutir o assunto.

"Eu, particularmente, gostaria que integrasse a Opep, sim. Temos potencial para isso, temos reservas de óleo maiores que alguns países que já integram a Opep", disse.

A instituição foi criada em 1960 em Bagdá, no Iraque, com o objetivo de centralizar a administração da produção petrolífera de seus países membros e, consequentemente, os preços dos barris do produto e derivados no mercado.

Atualmente, a Opep conta com 14 países-membros: Iraque, Irã, Kuwait, Arábia Saudita, Venezuela, Líbia, Emirados Árabes Unidos, Argélia, Nigéria, Equador, Gabão, Angola, Guiné Equatorial e Congo.

Internacional