PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

Londres faz mea culpa e anuncia que removerá estátuas alusivas à escravidão

A estátua de Edward Colston causava controvérsia em Bristol e foi derrubada por manifestantes - Finnbarr Webster/Getty Images
A estátua de Edward Colston causava controvérsia em Bristol e foi derrubada por manifestantes Imagem: Finnbarr Webster/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

09/06/2020 08h05Atualizada em 09/06/2020 10h28

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou hoje que a cidade vai revisar todas as estátuas da cidade com a intenção de remover aquelas que estiverem ligadas a donos e comercializadores de escravos.

A medida foi tomada depois que uma estátua de Edward Colston, um mercador de escravos, foi derrubada na cidade de Bristol, durante os protestos do fim de semana. Os ingleses foram às ruas contra o racismo e a violência policial, além de pedir justiça pela morte de George Floyd — homem negro brutalmente assassinado por um policial branco há duas semanas em Minneapolis, no estado norte-americano de Minnesota.

"É uma verdade desconfortável que o nosso país e a nossa cidade devam uma boa parte do seu bem-estar ao seu papel no comércio de escravos", declarou o prefeito.

"Enquanto isso está refletido em domínio público, a contribuição de várias de nossas comunidades à vida em nossa capital tem sido voluntariamente ignorada. Isso não pode continuar", defendeu.

Khan anunciou a criação de uma comissão que vai analisar os nomes de estátuas, ruas e edifícios públicos com objetivo de garantir que reflitam os valores de diversidade de Londres. Outro trabalho do grupo será decidir quais legados devem ser comemorados na hora de sugerir novas estátuas.

"Os protestos do Black Lives Matter [Vidas Negras Importam] trouxeram isso corretamente à atenção pública, mas é importante que nós tomemos os passos corretos para trabalharmos juntos para trazer mudanças e garantir que nós podemos ser orgulhosos da nossa paisagem pública", completou.

Internacional