PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Marinha da Ucrânia é reforçada em meio a temor por invasão da Rússia

Uma das estratégia dos ucranianos é acelerar a construção de um novo porto naval - PA Media
Uma das estratégia dos ucranianos é acelerar a construção de um novo porto naval Imagem: PA Media

Colaboração para o UOL

24/11/2021 12h03Atualizada em 24/11/2021 12h03

A Marinha da Ucrânia está sendo reforçada pelo governo, em meio ao temor de uma invasão pela Rússia. De acordo com a CNN, uma das estratégias é acelerar o ritmo de construção do novo porto naval em Berdyansk.

O capitão Alexander Serdiyk estima concluir a obra do porto em dois anos. Porém, de acordo com análise da Agência de Inteligência de Defesa da Ucrânia, esse prazo pode não ser suficiente, pois os russos já estariam planejando um ataque.

Já o almirante Alexey Neizhpapa é mais incisivo. "Em breve, os barcos levantarão a bandeira da marinha ucraniana e, sob o comando de tripulações ucranianas, começarão sua jornada de combate para garantir a segurança marítima nos mares Negro e Azov."

Secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken já expressou publicamente preocupação com a atividade militar de Moscou na fronteira com a Ucrânia. "Conhecemos o manual de tentar citar alguma provocação ilusória da Ucrânia ou de qualquer outro país e então usar isso como desculpa para fazer o que a Rússia planejou fazer o tempo todo."

O Kremlin, sede do governo russo, rebateu, acusando os países ocidentais de "histeria" sobre a suposta invasão na Ucrânia.

Desde que tomou a Crimeia, península ucraniana anexada por Moscou após um polêmico referendo em 2014, a Rússia construiu uma ponte ligando-a ao seu próprio território. A ponte serve como a única conexão direta entre os russos e a Crimeia e dá a Moscou o controle de fato do acesso do mar ao Mar Negro e ao Mediterrâneo.

Ataque a qualquer momento

O chefe da Agência de Inteligência de Defesa da Ucrânia, Brigadeiro General Kyrylo Budanov, disse ao jornal de defesa dos EUA Military Times que a Rússia estava aumentando os níveis de tropas e sistemas de armas na Crimeia para uma ofensiva que poderia ocorrer a qualquer momento.

"A mídia americana e ucraniana afirmam que a Rússia está se preparando para um ataque à Ucrânia, e estamos dizendo que a Ucrânia está planejando hostilidades contra Donbass, contra as repúblicas autoproclamadas de Luhansk e Donetsk", rebateu Dmitry Peskov, porta-voz de Vladimir Putin, ontem (23).

O governo Joe Biden avalia a possibilidade de enviar conselheiros militares e novos equipamentos, incluindo armamentos, para a Ucrânia. Segundo a CNN, o pacote pode incluir mísseis anti-tanque Javelin, mísseis anti-blindados e morteiros.

Os EUA também estão considerando sanções com aliados europeus, se a Rússia invadir a Ucrânia.

Internacional