Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Policial é expulso por organizar festas de sexo a três com esposa a R$ 900

Ex-policial inglês Nicholas Taylor e a esposa Eleanor organizavam festas de sexo á três e cobravam R$ 900 Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/05/2022 10h03

Um policial foi exonerado da corporação em West Midlands, no Reino Unido, depois que seus superiores descobriram que ele organizava festas de sexo a três com sua esposa na casa onde moram. O ex-oficial cobrava de cada convidado 150 libras, o equivalente a R$ 900, pela experiência.

Nicholas Taylor, 40, e a companheira Eleanor Turner, 28, anunciavam seus "serviços sexuais" e eventos nas redes sociais. Eles recebiam frequentemente em sua residência em Tedford muitos interessados, principalmente homens.

Contudo, há indícios de que essa prática começou em meados de 2020, durante o lockdown imposto pelas autoridades em decorrência da alta de casos de covid-19, segundo o jornal inglês Mirror.

Devido às restrições para aglomerações e realizações de festas, o casal manteve a sua rotina de brincadeiras sexuais em grupo em segredo e estabeleceu uma exclusividade na inclusão de outros participantes, principalmente quando a lista de interessados cresceu expressivamente.

No entanto, as coisas se complicaram quando os dois foram descobertos. Nicholas Taylor trabalhava no Departamento de Investigação Criminal (CID, na sigla em inglês) em Bloxwich, e foi exposto após uma armação planejada por repórteres que se disfarçaram de possíveis clientes em novembro de 2020.

O processo

Uma audiência específica para a conduta de policiais em West Midlands acusa Taylor de ter prejudicado a imagem e a reputação da corporação ao transformar sua casa em uma espécie de "bordel". Além de fazer da sua vida sexual uma atividade comercial, o que, segundo a polícia, viola os padrões de comportamento profissional.

"Não é preciso dizer que aceitar pagamentos em troca de serviços sexuais é uma conduta capaz de trazer descrédito à força policial", disse John Goss, representante da polícia de West Midlands.

Nicholas Taylor tentou se defender e alegou que as festas promovidas com Eleanor estavam apenas expressando suas identidades sexuais de modo seguro. Ele apontou também que a maioria dos clientes tinha idades entre 21 e 70 anos.

Em depoimento, Taylor explicou que, na internet, ele e a companheira se apresentavam pelos nomes de Mark e Courtney. Eles divulgavam suas fotos para fazer propaganda dos eventos e iniciavam conversas com pessoas diferentes antes de convidá-las para sua casa. O britânico insistiu que sua ação não pode ser classificada como má conduta, principalmente porque os padrões de comportamento exigidos pela polícia mudam conforme os anos.

A polícia de West Midlands decidiu não investigar o comportamento de Taylor como uma ofensa criminal mas, mesmo assim, suas atividades estavam relacionadas ao incentivo da prostituição. "O comportamento dele esbarrou na lei criminal, que proíbe agentes de manter ou colaborar na administração de um bordel ou práticas ligadas a prostituição".

Nick Taylor foi banido da força policial depois de 20 anos de serviços prestados à corporação. Ele também está proibido de regressar a qualquer unidade de segurança britânica.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Policial é expulso por organizar festas de sexo a três com esposa a R$ 900 - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL

Internacional