Rastejando com perna necrosada: como ucraniano sobreviveu sozinho por dias

Um soldado ucraniano sobreviveu após ficar dias ferido e sozinho nas trincheiras da região de Bakhmut, na Ucrânia. As informações são da CNN. A guerra na Ucrânia já completou 21 meses de duração, com dezenas de milhares de mortos.

O que aconteceu

Uma granada atingiu a trincheira em que o soldado ucraniano Serhii, 36, estava com sua unidade nos arredores de Bakhmut.

Ele foi atingido gravemente. "Fui ferido em ambas as pernas e imediatamente as toquei para verificar se ainda estavam lá", afirmou em entrevista à CNN americana, concedida em um hospital público no centro da Ucrânia.

O ataque ocorreu em outubro. Conforme a reportagem, outros soldados também se feriram —quebraram as pernas e as mandíbulas. Serhii fez questão de que outros soldados feridos fossem levados antes dele, que ficou em um abrigo até a chegada da próxima unidade de busca.

Outro bombardeio russo. Quando a próxima unidade chegou, os bombardeios vindos das tropas russas se intensificaram. Os suprimentos para a equipe tiveram de ser enviados por um drone.

"Nosso comandante deixou cair de drones alguns lanches [tipo salgadinhos], analgésicos, água, e até mesmo cigarros. E o isqueiro", falou o soldado ferido, que adquiriu o hábito de fumar durante a guerra.

Novo ataque de granada

Soldado ucraniano sobreviveu após dias sozinho e ferido
Soldado ucraniano sobreviveu após dias sozinho e ferido Imagem: Reprodução/YouTube/ CNN
Continua após a publicidade

A água se tornou um problema, já que as garrafas estouraram com o impacto no solo.

A situação piorou quando um drone russo lançou uma granada no pequeno abrigo onde eles estavam na trincheira, que atingiu um soldado próximo a ele. "Fui ferido de novo, mas ele estava muito mal. Duas pessoas da brigada o levaram. E percebi que estava sozinho", contou Serhii.

Ele ficou com as pernas debilitadas e sozinho por três dias, enquanto escutava os soldados russos se comunicando via rádio nas proximidades.

Seus comandantes disseram que sua única saída seria orar e rastejar e assim ele fez com um rádio na mão e arrastando as pernas que já começavam a necrosar: "Só havia uma maneira de escapar e eu nem esperava sobreviver."

Recuperando-se no hospital e ansioso para retornar para casa, ele diz que sua história não tem nada de especial e afirmou que outros soldados em batalha merecem atenção do mundo enquanto a guerra avança para seu segundo ano.

O que eu vi não pode ser dito em palavras. Cada pessoa nesta ala desta enfermaria passou por algo assim. Nossos homens estão pagando muito alto.
Serhii, soldado ucraniano sobrevivente na guerra com a Rússia em entrevista à CNN

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora