Nevasca atinge Nova York, cancela voos e deve ser a pior em dois anos

Nova York amanheceu nesta terça-feira (13) enfrentando uma nevasca que deve ser a maior em dois anos, de acordo com o jornal The New York Times. Voos foram cancelados e escolas suspenderam aulas presenciais.

O que aconteceu

Começou a chover em Nova York na noite de segunda-feira (12). A chuva se transformou em neve antes de amanhecer e a neve se intensificou durante a manhã.

Mais de 1.000 voos foram cancelados por causa da nevasca nos Estados Unidos. O The New York Times afirma que os aeroportos New York's LaGuardia e John F. Kennedy International Airports, os dois em Nova York, foram os mais atingidos pela nevasca, com mais de 100 voos cancelados.

A nevasca atinge da Filadélfia a Boston. O Serviço Nacional de Meteorologia informou que mais de 30 milhões de pessoas, desde a Virgínia Ocidental até a Nova Inglaterra, estavam sob alerta de tempestade de inverno devido à neve de 15 cm que caiu durante a noite.

Essas faixas se moverão em direção ao sul nas próximas horas até por volta do meio-dia, resultando em estradas rapidamente cobertas e condições de direção perigosas.
Serviço de Meteorologia, em nota

Escolas suspenderam as aulas presenciais nesta terça. Diversos prédios municipais estão fechados por causa da nevasca.

O MET (The Metropolitan Museum of Art) decidiu continuar aberto. Segundo o The New York Times, o museu funciona como um refúgio para quem quer sair mesmo com a nevasca. Funcionários estão trabalhando para manter a entrada do MET sem neve.

Em janeiro, Nova York foi atingida por uma nevasca depois de dois anos sem registro do fenômeno. Os 8,5 milhões de residentes da cidade não viam mais de 2,54 cm de neve cair no Central Park desde 13 de fevereiro de 2022, uma sequência recorde de 692 dias.

Continua após a publicidade