Conteúdo publicado há 26 dias

Milei aceita renúncia de chefe de gabinete: 'Diferenças de expectativas'

O presidente da Argentina, Javier Milei, aceitou a renúncia de seu chefe de gabinete, Nicolás Posse.

O que aconteceu

Posse renunciou ao cargo no alto escalão do governo Milei nesta segunda-feira (27). Posteriormente, a Casa Rosada emitiu comunicado em que atribui a saída do chefe de gabinete a "diferenças de critérios e expectativas na condução do governo e das tarefas a ele confiadas".

Casa Rosada reiterou que a renúncia de Posse não significa ruptura com os ideias de Milei. Na saída do então aliado de primeira hora do presidente argentino, o ministro do Interior, Guillermo Francos, assumirá interinamente o cargo.

Gabinete presidencial também emitiu nota em que exaltou Francos e ignorou Posse. "Guillermo assumirá com profissionalismo, experiência e capacidade política a função de chefe de gabinete, sendo reconhecido por todas as forças políticas por sua capacidade de gestão e consenso", diz a pasta.

Como chefe de gabinete, Nicolás Posse tinha como principal função coordenar os trabalhos em conjunto com os ministérios. Entretanto, a articulação política dele era considerada inexpressiva, ao contrário de Francos.

Milei e Posse não se falavam "há semanas". Segundo informações do jornal La Nación, a saída do chefe de gabinete do cargo era vista como "irreversível" e a relação entre os dois já não era de tanta proximidade, como foi durante a campanha. Milei e Posse se conhecem desde 2009, quando trabalharam juntos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes