A próxima casa dos Obama: 760m² e 9 quartos em um bairro abastado de Washington

Julie Hirschfeld Davis

Em Washington (EUA)

  • Gabriella Demczuk/The New York Times

    Equipe de TV filma diante da casa que o presidente Barack Obama pretente alugar quando deixar a Casa Branca, no bairro de Kalorama, em Washington

    Equipe de TV filma diante da casa que o presidente Barack Obama pretente alugar quando deixar a Casa Branca, no bairro de Kalorama, em Washington

O presidente Barack Obama e sua família pretendem se mudar para uma mansão no bairro elegante de Kalorama, em Washington, a apenas 3,2 km da Casa Branca, quando ele deixar o cargo em janeiro, segundo pessoas inteiradas de seus planos.

Obama, que disse que sua família ficará na capital americana até que sua filha Sasha complete o curso secundário, em 2018, vai alugar uma casa de 760 m² e nove quartos, segundo essas pessoas, que falaram sob a condição do anonimato porque não estavam autorizadas a revelar seus planos.

Avaliada em cerca de US$ 6 milhões, segundo vários sites de imóveis, com um aluguel mensal estimado em US$ 22 mil (R$ 80 mil) pela Zillow, a casa é propriedade de Joe Lockhart, um ex-secretário de Imprensa e assessor sênior de Bill Clinton.

Lockhart foi até este ano o diretor-gerente de um escritório de comunicações e consultoria política que ele fundou, o Glover Park Group, mas mudou-se para Manhattan para ser vice-presidente-executivo de comunicações da Liga Nacional de futebol.

Lockhart e sua mulher, Giovanna Gray Lockhart, uma editora da revista "Glamour", não quiseram comentar o assunto, remetendo as perguntas à Casa Branca. Jennifer Friedman, a vice-secretária de Imprensa da Casa Branca, também não quis comentar os planos do presidente, relatados primeiramente na última quarta-feira (25) pelo site Politico.

A medida colocará os Obama em uma das áreas mais ricas de Washington, em um ambiente fechado que dá para o Parque Rock Creek, onde vivem diplomatas, e é um ponto focal do circuito de festas da capital.

A casa em si é luxuosa: fotos postadas pela Washington Fine Properties, que a vendeu em 2014, mostram salas espaçosas com pisos de madeira, balcões de mármore branco, banheiros master duplos e um terraço com jardins formais.

Também tem uma "suite au pair", que poderia servir para Marian Robinson, a mãe de Michelle Obama, que morou com a família na Casa Branca.

O local também parece se adequar à necessidade de Obama de acomodar o contingente do serviço secreto que permanece com os presidentes depois que deixam o cargo. Um pátio murado na lateral tem espaço para vários veículos e o acréscimo de uma guarita.

Gabriella Demczuk/The New York Times

O bairro já tem uma presença de segurança considerável, devido a sua proximidade com o trecho da Avenida Massachusetts conhecido como Ala das Embaixadas.

Os Obama vão morar a uma quadra da Embaixada de Omã e do embaixador da União Europeia nos EUA, e dobrando a esquina de Gérard Araud, o embaixador francês conhecido pelas frequentes festas em sua mansão no estilo Tudor.

"É um bairro muito tranquilo, e é por isso que todos nós gostamos daqui", disse Tony Podesta, um lobista democrata bem conectado e irmão de John D. Podesta, o diretor da campanha de Hillary Clinton.

Podesta, que vive a duas casas da que Obama alugará, costuma convidar os vizinhos para comer pizza no quintal, onde tem um forno próprio. Várias vezes por dia, uma fila de táxis estacionados se arrasta pela rua, com seus ocupantes atraídos ao Centro Islâmico no mesmo quarteirão, para as orações muçulmanas.

Quando a notícia dos planos de moradia de Obama foram divulgadas na quarta-feira, jornalistas e fotógrafos correram para o local. "Meu caseiro ficou meio maluco", disse Podesta.

Os Obama ainda possuem uma casa em Chicago, mas o presidente disse em março que sua família ficaria em Washington até que Sasha, que frequenta a Escola Sidwell Friends, se forme no colegial. Os Obama disseram este mês que sua filha mais velha, Malia, que se formará em Sidwell no mês que vem, vai tirar um ano de folga antes de se matricular em Harvard.

A futura casa dos Obama tem uma rica história. Foi construída em 1928 por F. Moran McConihe, um empreiteiro que teve um papel importante na expansão de Kalorama e serviu na Administração de Serviços Gerais sob o presidente Dwight Eisenhower.

Ela foi comprada pelo capitão Charles Hamilton Maddox, um veterano das duas guerras mundiais que em 1912 projetou e testou, em voo, o primeiro equipamento de rádio usado com sucesso em aeronaves navais. Sua filha, Muriel Maddox, atuou com Marlon Brando no filme "Espíritos Indômitos" e escreveu vários romances.

O bairro há muito abriga políticos importantes, como Woodrow Wilson, William Howard Taft, Franklin D. Roosevelt, Warren G. Harding, Herbert Hoover e o senador Edward M. Kennedy. No ano passado, o ex-secretário da Defesa Donald Rumsfeld vendeu a casa em Kalorama onde morou durante o governo Bush.

Os moradores descrevem o bairro como um oásis de calmaria residencial no meio de uma cidade agitada.

"Você pode chegar a quase qualquer lugar de Washington em 15 minutos, mas no fim de semana é como se estivesse no campo", disse Bart Gordon, um ex-congressista democrata do Tennessee que hoje está na firma de advocacia K&L Gates e em breve será o vizinho de porta de Obama.

"Ele será bem-vindo ao bairro. Só espero que não seja muito barulhento."

Tradutor: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos