PUBLICIDADE
Topo

Política

Ex-ministro de Dilma diz que PSDB ofereceu R$ 20 mi por apoio do PMDB em MG

Carlos Eduardo Cherem

Do UOL, em Belo Horizonte

26/05/2014 17h34Atualizada em 25/06/2014 16h38

O deputado federal Antônio Andrade (PMDB-MG), ex-ministro da Agricultura do governo Dilma Rousseff, afirmou durante entrevista coletiva --concedida na manhã desta segunda-feira (26) em Belo Horizonte--, que o PSDB de Minas Gerais teria oferecido R$ 20 milhões para os peemedebistas usarem como verba eleitoral nas campanhas proporcionais no Estado, caso os dois partidos fizessem coligação no Estado

Andrade, que é pré-candidato a vice-governador de Minas na chapa encabeçada pelo petista Fernando Pimentel --também ele um ex-ministro de Dilma, titular da pasta do Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Exterior--, disse que a oferta foi feita pelo deputado federal Marcus Pestana, que é presidente do Diretório Estadual do PSDB em Minas Gerais.

O presidente do PMDB fez as afirmações durante reunião da executiva do partido. Logo após, em entrevista para a imprensa, Andrade confirmou as acusações.

Procurado, Pestana disse que avalia a  possibilidade de processar Andrade pelas declarações feitas.

O peemedebista explicou que a proposta teria sido feita em uma reunião que tinha como objetivo oferecer a ele a vaga ao Senado na chapa encabeçada pelo tucano Pimenta da Veiga.

A oferta, ainda de acordo com o ex-ministro, seria uma tentativa de isolar o PT na disputa pelo governo estadual. 

Ainda segundo o ex-ministro, os tucanos teriam chegado a esse valor após ele dizer que “estava preocupado” para conseguir dinheiro para a campanha de deputados da legenda em Minas Gerais.

“Eles disseram que isso não seria problema nenhum. 'Nós conseguimos os R$ 20 milhões para a ajudar a bancada e os pré-candidatos para deputado federal e estadual'”, disse Andrade durante a entrevista coletiva

Retratação pública

O presidente estadual do PSDB  negou qualquer encontro com o ex-ministro de Dilma e pediu uma retratação pública por parte de Andrade.

“A declaração é uma mistura de irresponsabilidade, delírio e leviandade. Nosso padrão ético é diferente e ele (Andrade) que não venha nos medir com a régua e compasso de suas medidas, que não são a nossa”, disse Pestana.

Segundo o tucano, “nunca houve reunião minha ou da cúpula do PSDB com Andrade. Nós nos reunimos, numa evento público e com  a presença da imprensa, quando quem estava à frente da legenda (PMDB mineiro) era o Saraiva Felipe (deputado federal por Minas Gerais pelo PMDB e ex-ministro de Lula).

A reunião desta segunda-feira na sede do PMDB foi para tratar da chapa para disputar o governo de Minas. Nas últimas semanas dois atos de integrantes da legenda foram feitos na tentativa de forçar o comando peemedebista no Estado a lançar candidatura própria.

Antônio Andrade já fez declarações públicas confirmando a dobradinha com o PT, repetindo o que já ocorre na esfera federal.

Política