Dá para passar pela crise econômica sem cortar o Bolsa Família, diz Dilma

Do UOL, no Rio

  • Facebook/Dilma Rousseff

    Dilma Rousseff e Tereza Campello conversam com internautas

    Dilma Rousseff e Tereza Campello conversam com internautas

Em mais um bate-papo virtual no Facebook nesta terça-feira (7), a presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), conversou sobre investimentos em programas sociais, como o Bolsa Família, e voltou a criticar o governo do presidente interino, Michel Temer (PMDB).

Na avaliação de Dilma, a gestão em exercício cortará investimentos na área social. "O que nos espanta é que, na hora de cortar gastos, a única área que entra em pauta é a social. Para o governo provisório, o social é variável de ajuste fiscal", afirmou ela, que estava com a ex-ministra do Desenvolvimento Social Tereza Campello.

A presidente afastada defendeu que "o país pode passar por essa crise sem cortar o Bolsa Família", que, segundo ela, beneficia 47 milhões de pessoas com investimento equivalente a 0,47% do PIB.

"É um programa muito barato. Isso deveria ser impensável, ainda mais em um momento de crise, que é quando as famílias mais precisam de proteção", declarou.

No dia 18 de maio, também em bate-papo com Tereza Campello, Dilma já havia afirmado que eventuais cortes no Bolsa Família representariam um "retrocesso". "É claro que se houver corte no programa há o risco de voltarmos ao passado. É com orgulho que podemos dizer que nasceu no Brasil a primeira geração de crianças livre da fome e na escola", disse ela, na ocasião.

Dilma fazia referência à possibilidade de Temer decretar mudanças no programa. O assunto parece controverso no governo do peemedebista. Ele já afirmou publicamente que manterá o Bolsa Família.

No entanto, no documento "A Travessia Social", o PMDB defende a "focalização" do programa na faixa dos 5% mais pobres do país, o que representaria uma redução de sua abrangência.

O novo ministro de Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, afirmou ser necessário "oportunizar a saída" para beneficiários do programa Bolsa Família.

"As pessoas têm que ter renda e não pode ser objetivo de vida viver só do Bolsa Família e o que está acontecendo é isso", disse durante sua posse. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, declarou que os programas sociais serão mantidos, mas passarão por forte avaliação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos