Topo

Amazonino Mendes (PDT) é eleito para mandato-tampão como governador do Amazonas

Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo
Amazonino Mendes (PDT) foi governador do Amazonas de 1995 a 2003 Imagem: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em Brasília

27/08/2017 19h33Atualizada em 28/08/2017 06h23

Depois de quase cinco anos afastado da política, Amazonino Mendes (PDT), 77, foi eleito neste domingo (27) o novo governador do Amazonas. Ele vai exercer um mandato-tampão de 14 meses, até o fim do ano que vem.

Mendes derrotou o senador Eduardo Braga (PMDB) no segundo turno das eleições suplementares determinadas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Com 100% das urnas apuradas ainda antes da meia-noite, o pedetista alcançou 59,21% dos votos válidos, enquanto o peemedebista teve 40,79%.

A vaga estava aberta desde a confirmação da cassação do então governador José Melo (Pros) e seu vice Henrique Oliveira (Solidariedade), por compra de votos, em maio passado. O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, David Almeida (PSD), está no comando do Estado interinamente.

Ex-aliados, tanto Mendes quanto Braga já governaram o Estado --o primeiro de 1995 a 2003, e o segundo de 2003 a 2010. Além de governador, Amazonino foi prefeito de Manaus de 2009 a 2013.

O vencedor da eleição comemorou o resultado com uma mensagem de agradecimento em uma rede social. "Agradeço do fundo do meu coração a cada pessoa que acreditou que, juntos, podemos mudar a política e podemos mudar nosso Estado", escreveu.

Em entrevista coletiva na noite deste domingo, Braga agradeceu pelos mais de 500 mil votos que recebeu e enviou um recado ao adversário. "Desejo que o Amazonino faça o melhor pelo povo do Amazonas e que ele dê a resposta que o povo merece”, declarou.

O pleito começou às 9h (horário de Brasília) e foi encerrado às 18h. A apuração começou a ser divulgada às 19h, por causa do fuso horário em 11 municípios, que é de duas horas a menos em relação a Brasília e uma hora a menos em relação à capital amazonense.

No primeiro turno, realizado no dia 20 de agosto, o candidato do PDT alcançou 38,92% dos votos, contra 24,7% do peemedebista.

A data da posse ainda não foi definida, mas o TRE-AM (Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas) marcou a diplomação da chapa eleita --que teve o deputado estadual Bosco Saraiva (PSDB) como vice-- para o próximo dia 2 de outubro.

Sandro Pereira/Código 19/Estadão Conteúdo
27.ago.2017 - O candidato Eduardo Braga (PMDB) votou na Escola Municipal Professora Eliana Lúcia Monteiro da Silva, na zona oeste de Manaus (AM) Imagem: Sandro Pereira/Código 19/Estadão Conteúdo

Mais de 2 milhões de eleitores amazonenses estavam aptos a votarem nos 62 municípios do Estado.

Na primeira hora do pleito, nove urnas precisaram ser substituídas, seis na capital, duas em Iranduba e uma em Itacoatiara, de acordo com o primeiro balanço do dia do TRE-AM.

Ao todo, o tribunal disponibilizou 6.686 urnas eletrônicas em todo o Estado. Quase metade delas está em Manaus, que concentra 1.274.399 eleitores.

Um homem foi detido na madrugada deste domingo por desacato durante fiscalização da Lei Seca da Polícia Civil. Ele foi flagrado consumindo bebida alcoólica e resistiu à abordagem policial.

(Com Agência Brasil)