Topo

Michel Temer ficará preso na PF do Rio; juiz comparou tratamento ao de Lula

Talita Marchao

Do UOL, em São Paulo

2019-03-21T17:30:46

2019-03-21T20:10:07

21/03/2019 17h30Atualizada em 21/03/2019 20h10

O ex-presidente Michel Temer, preso na Operação Lava Jato em São Paulo na manhã de hoje, desembarcou na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, por volta das 17h25. Temer chegou à superintendência da Polícia Federal, no Rio de Janeiro, por volta das 18h40, onde ficará preso preventivamente.

Em sua decisão, o juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal, afirmou que o tratamento a Temer deveria ser semelhante ao do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso há quase um ano na sede da PF em Curitiba.

"Entendo que o tratamento dado aos ex-presidentes deve ser isonômico, uma vez que o ex-presidente Lula está custodiado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba", afirmou no texto.

"Considerando ainda que a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro informou que tem condições de custodiá-lo, defiro o requerimento para que o investigado preso Michel Miguel Elias Temer Lulia fique custodiado na sede da Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Quanto aos itens mínimos, remeto também ao tratamento dado ao ex-presidente Lula, dentro, porém, das possibilidades desta Regional", disse Bretas.

Temer foi preso no fim da manhã e levado para a Polícia Federal no aeroporto de Guarulhos, onde fez exames de corpo de delito e embarcou, por volta das 16h15, em uma aeronave bimotor da PF, modelo Beechcraft King Air de matrícula PR-BSI.

Ele foi acusado de atuar em esquemas de corrupção que envolvem mais de R$ 1,8 bilhão em propinas --entre pagas e prometidas. A força-tarefa da Operação Lava Jato justificou a necessidade de prisão por ele ser o líder de uma organização criminosa que inclui outros quadros do MDB.

O advogado de Temer, Eduardo Pizarro Carnelós, disse que a prisão "constitui mais um e dos mais graves atentados ao Estado Democrático de Direito no Brasil". "Dos termos da própria decisão que determinou a prisão, extrai-se a inexistência de nenhum elemento de prova comprobatório da palavra do delator."

Em um primeiro momento, Bretas determinou que Temer, assim como o ex-ministro Moreira Franco e o amigo do ex-presidente, João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, fossem levados para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, na região metropolitana do Rio. É o mesmo local em que o ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão está preso em cela especial. Posteriormente, Bretas autorizou a prisão de Temer na sede da PF.

Moreira Franco também foi levado para a sede da PF no Rio no mesmo comboio que Temer, mas será transferido para Niterói.

Temer chegou ao aeroporto em São Paulo por volta das 12h15 e ficou no posto da Polícia Federal dentro do aeroporto. Ele foi preso perto de sua casa, em São Paulo. Já Moreira Franco foi preso ao desembarcar de um voo de Brasília no Aeroporto Internacional Galeão, no Rio de Janeiro. Autoridades confirmaram que o ex-ministro não resistiu à prisão e foi preso por um agente da PF com o apoio de um veículo particular, já que Moreira Franco teria saído muito rápido do aeroporto.

Sobre as prisões, a defesa do Coronel Lima também se manifestou e se declarou perplexa diante da situação. "A própria Procuradoria-Geral da República manifestou-se em relação aos mesmos fatos e concluiu que não havia elementos para a prisão do meu cliente. Surpreendentemente, 2 meses depois, contrariando o entendimento da PGR, a prisão é decretada pela 1ª instância, sem a existência de nenhum fato novo".

Por sua vez, a defesa do ex-ministro Moreira Franco analisa a prisão cautelar com "inconformidade". Segundo eles, o ex-ministro "encontra-se em lugar sabido, manifestou estar à disposição nas investigações em curso, prestou depoimentos e se defendeu por escrito quando necessário." Além disso, questionam a competência do juiz Marcelo Bretas: "causa estranheza o decreto de prisão vir de juiz de direito cuja competência não se encontra ainda firmada, em procedimento desconhecido até aqui.", Disseram os advogados, em nota.

Veja o momento em que o ex-presidente Michel Temer é preso em São Paulo

UOL Notícias