PUBLICIDADE
Topo

Política

A apoiadores, Bolsonaro afirma que 'só na fraude' Lula volta à presidência

Jair Bolsonaro conversa com apoiadores - Reprodução/Foco do Brasil
Jair Bolsonaro conversa com apoiadores Imagem: Reprodução/Foco do Brasil

Lucas Valença

do UOL em Brasília

21/06/2021 09h34

Em conversa com apoiadores na frente do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar o ex-presidente Lula e a questionar a lisura da urna eletrônica, sem demonstrar provas sobre a falta de segurança do sistema.

"Só na fraude, o 'nove dedos' volta. Agora, se o congresso aprovar e promulgar, teremos voto impresso", afirmou ao também dizer que "não será uma canetada" que impedirá o voto escrito.

Em crítica direta ao PT, o presidente disse que está "arrumando" o Brasil e que uma das medidas para mudar o país será a nova indicação de um ministro ao STF (Supremo Tribunal Federal), que deverá ocorrer no próximo mês com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio.

"Para onde o Brasil estava indo até a cassação da Dilma? Imagina se ela continuasse. E se em 2018 eu tivesse morrido na facada? Quem estaria no meu lugar? Agora é muita coisa para a gente arrumar e vamos arrumando", declarou.

Ele lembrou também que, o presidente da República que for eleito em 2022, deverá indicar mais dois ministros ao Supremo.

Na mesma fala, Bolsonaro também voltou a jogar a responsabilidade do alto preço dos combustíveis aos governadores. Segundo ele, deverá ser votada esta semana um Projeto de Lei do Executivo que obriga cada estado defina "nominalmente o valor dos combustíveis, não percentualmente".

"Está com dificuldade de aprovar, mas negociamos com o presidente Arthur Lira (Câmara), que tem ajudado a gente nessa causa", afirmou.

Política