PUBLICIDADE
Topo

Política

Cabo Daciolo será candidato ao Senado no Rio pelo PDT

Nas redes sociais, Cabo Daciolo fez uma publicação agradecendo a Deus e ao PDT. "Obrigado, meu Rei !!! Amo vocês, PDT", escreveu - Reprodução
Nas redes sociais, Cabo Daciolo fez uma publicação agradecendo a Deus e ao PDT. "Obrigado, meu Rei !!! Amo vocês, PDT", escreveu Imagem: Reprodução

Pedro Vilas Boas

Colaboração para o UOL

06/08/2022 15h06Atualizada em 06/08/2022 17h36

O ex-deputado federal Cabo Daciolo foi indicado pelo PDT, ontem - último dia para oficialização de candidaturas -, como o candidato do partido ao Senado no Rio de Janeiro. A definição acontece após disputa interna entre o candidato à Presidência em 2018 e o sacerdote babalaô Ivanir dos Santos.

O UOL apurou que Ivanir não deve nem ocupar uma das suplências do pastor evangélico. O PSD deve confirmar a indicação de Daciolo amanhã, completando a chapa ao governo do Rio encabeçada pelo ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves (PDT), com o ex-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) Felipe Santa Cruz (PSD) na vice.

Nas redes sociais, Cabo Daciolo fez uma publicação agradecendo a Deus e ao PDT. "Obrigado, meu Rei!!! Amo vocês, PDT", escreveu.

Encontro 'sobrenatural' com Ciro

Cabo Daciolo anunciou em abril que havia se filiado ao PDT para tentar uma vaga no Senado pelo Rio de Janeiro. Na ocasião, o ex-deputado federal disse que sua filiação se deu de forma "sobrenatural" depois de um encontro com Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT, no Ceará. "O espírito santo começou a me incomodar para ir orar com Ciro", disse.

O ex-deputado afirmou que o encontro se deu em dezembro, no dia em que Ciro foi alvo de uma operação da Polícia Federal. Ele desistiu da pré-candidatura à Presidência da República no ano passado e declarou apoio a Ciro Gomes.

Na campanha de 2018, Daciolo e Ciro protagonizaram um diálogo que marcou um dos debates da corrida presidencial. Daciolo acusou Ciro de ser um dos idealizadores do plano "Ursal", que determinaria uma junção socialista na América Latina. Ciro rebateu, dizendo que "a democracia é uma delícia, mas tem certos custos".

Política