PUBLICIDADE
Topo

Estudo com corredores revela que as mulheres sofrem mais com dores nas costas

Entre os participantes do estudo, as dores lombares estão presentes em mais de 70% dos casos, seguidas das dores cervicais, que atingem 30% dos corredores - Thinkstock
Entre os participantes do estudo, as dores lombares estão presentes em mais de 70% dos casos, seguidas das dores cervicais, que atingem 30% dos corredores Imagem: Thinkstock

Do UOL, em São Paulo

29/05/2012 13h02

Segundo estudo realizado pelo Spine Center do Hospital do Coração com corredores de rua, as mulheres são as que mais sofrem com as dores nas costas. A pesquisa foi realizada com 240 participantes de corridas de rua, sendo 123 mulheres e 117 homens, o estudo revelou que as dores nas costas afetam 49,5% das mulheres contra 39,3% dos homens.

O fisiatra intervencionista Dr. João Amadera afirma que a corrida é um esporte de impacto e se não praticado adequadamente pode agravar os problemas na coluna. Entre os participantes do estudo, as dores lombares estão presentes em mais de 70% dos casos, seguidas das dores cervicais, que atingem 30% dos corredores, independente do sexo.

A idade também influi na dor entre os atletas. Corredores com idade acima de 30 anos e corredoras com mais de 40 anos tem o risco aumentado em quase duas vezes de sofrerem dores crônicas na coluna. O sobrepeso, situação que já atinge quase 50% da população brasileira, mostrou ser um importante fator de risco para as mulheres desenvolverem dores crônicas na coluna. De acordo com Amadera, entre as mulheres que estão acima do peso há um risco 50% maior de desenvolverem o problema, enquanto os homens nessa mesma situação não são afetados.

O estudo também destaca que o risco de desenvolver dores na coluna dobra em ambos os sexos após o primeiro ano de treino regulares. O fisiatra Dr. Daniel Pimentel acredita que isso é um indício que o tempo de prática da modalidade pode ser um fator de risco para a dor na coluna por diversos fatores, como despreparo físico, má postura, falta dos fundamentos adequados ao correr e por não darem tempo suficiente de descanso para a regeneração de microlesões causadas nos treinos.

Homens que correm mais de 20km por semana apresentaram menor risco de ter dor nas costas do que os que treinam abaixo desta quilometragem. Segundo Pimentel, acima dos 20km por semana o físico precisa de maior preparo, sendo um fator de proteção para problemas na coluna. De acordo com o especialista, os riscos de dores nas costas estavam distribuídos independente do número de vezes na semana em que os corredores treinavam. 

Nas corredoras, as que praticavam mais de três vezes na semana, tinham maior risco de apresentar dores na coluna. A média da intensidade da dor, numa escala de 0 a 10, foi de 3,2 em homens e 4,2 em mulheres, sendo considerada de moderada intensidade. Pimentel alerta que esse resultado demonstra que, mesmo sentindo dores, alguns até com dores severas de 9,8 na escala, muitos atletas permanecem forçando suas colunas, o que pode agravar suas lesões.