Topo

OMS decreta a poliomielite emergência sanitária mundial

05/05/2014 08h57Atualizada em 05/05/2014 13h46

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou nesta segunda-feira (5) estado de emergência de saúde pública para a poliomielite diante do aumento dos casos da doença nos últimos seis meses e após detectar a enfermidade em mais de 10 países.

A decisão foi tomada após uma semana de discussões no Comitê de Emergência da OMS, formado por especialistas, que recomendaram decretar o estado de emergência porque os casos representam uma ameaça para o restante do mundo, afirmou Bruce Aylward, diretor-geral adjunto da OMS.

"A decisão para considerar que estão reunidas as condições para um estado de emergência foi unânime", afirma a OMS em um comunicado.

"Se não for controlada, a situação poderá colocar em risco a erradicação global da uma das mais graves doenças que pode ser evitada através da vacinação", ressalta o comunicado.

A OMS estima que o maior risco de propagação da poliomielite está no Paquistão, Camarões e Síria, e convoca as autoridades locais a agir com campanhas de vacinação para aqueles que precisam viajar e manter este dispositivo por pelo menos seis meses após verificar que não houve novos casos da doença.

Os países onde a doença foi detectada, e que estão incluídos neste estado de emergência, são Afeganistão, Guiné Equatorial, Etiópia, Iraque, Israel, Somália e Nigéria.

O número de casos de pólio caiu mais de 99% desde 1988, passando de 350 mil a 406 casos notificados em 2013. Esta diminuição deve-se ao esforço global para erradicar a doença, segundo a OMS.

Em 2014, há apenas três países onde a doença é considerada endêmica, Afeganistão, Nigéria e Paquistão, enquanto este número era de mais de 125 em 1988.

"No entanto, a poliomielite continua a se espalhar internacionalmente a partir de países endêmicos e dos países reinfectados", indica a OMS.

Entre janeiro e abril, habitualmente período de baixa transmissão da pólio, três novos casos importados da doença foram detectados: na Ásia (do Paquistão para o Afeganistão), no Oriente Médio (da Síria para o Iraque), e na África Central (do Camarões para a Guiné Equatorial", explica a organização.

Síria

A Síria erradicou a poliomielite há 14 anos; porém, durante a guerra civil, a doença voltou com força. A vacinação nas áreas da oposição já estava abaixo dos padrões em 2011, mas a situação se deteriorou. Dados sobre a vacinação de rotina da OMS revelam que, nos últimos dois anos, uma grande proporção da população síria não foi vacinada.

No país como um todo, a cobertura caiu para 60% em 2012 e chegou a até 50% na cidade conflituosa de Deir al-Zour, no leste do país, onde é mais forte o combate entre o governo e forças rebeldes. Os números mais recentes da OMS de 2013 mostram que o nível agora baixou para 36% na província Deir al-Zour, tomada pelos rebeldes, embora tenha permanecido em 100% nas áreas controladas pelo governo, como o reduto de Tartus, no oeste.

Vírus

A poliomielite é uma doença altamente contagiosa que afeta principalmente crianças com menos de cinco anos. É provocada por um vírus que invade o sistema nervoso e pode causar paralisia total em algumas horas e pode se propagar rapidamente nas populações não imunizadas. Ele penetra no organismo pela boca e se multiplica nos intestinos.

Uma paralisia irreversível (em geral nas pernas) acontece em um caso a cada 200. Entre 5% e 10% dos doentes com paralisia morrem, quando o aparelho respiratório para de funcionar.

No Brasil, desde 1989, nenhum caso de pólio paralítica foi detectado, nem a presença do vírus em portadores assintomáticos, ou ainda no meio ambiente.

(Com a Agência AFP)

Mais Notícias