Mulher morre do coração após tipo raro de dengue no interior paulista

Eduardo Schiavoni

Do UOL, em Campinas

Um caso raro de dengue foi o responsável pela morte de uma mulher de 57 anos em Santa Bárbara d´Oeste. O vírus da dengue se alojou no coração da paciente, o que causou uma miocardite aguda, ou seja uma inflamação no coração. A causa da morte foi confirmada por um laudo do Instituto Adolfo Lutz. A mulher não tinha histórico de doenças cardíacas.

Dirce de Oliveira Santos morreu dia 7 de abril, em Campinas, mas o laudo só ficou pronto nesta semana. Ela foi diagnosticada com dengue em 31 de março, seguiu o tratamento e se recuperava bem, mas no domingo, 6 de abril, passou mal por volta das 18h30. Ela foi levada a um hospital em Americana. No local, ela fez alguns exames e foi encaminhada, por volta das 4h da segunda-feira (7), ao Hospital Samaritano, em Campinas, com suspeita de infarto.

Ela chegou consciente a Campinas, mas exames descartaram o infarto. O quadro começou a se complicar, mas os médicos não conseguiram identificar o problema. Luciano Tarela, médico da UCO (Unidade Coronária) - uma UTI coronariana da instituição - suspeitou que a dengue tivesse afetado o coração. É bom lembrar que o contágio é o mesmo da dengue comum, por picada de mosquito.

"O médico explicou que o vírus da dengue se aloja no músculo do coração e o órgão vai perdendo sua capacidade e função e infelizmente não teria nenhum medicamento para reverter a infecção e o paciente só tem 12 horas de sobrevida", disse o filho da vítima, o comerciante Márcio Roberto dos Santos, 36.

Dirce morreu no fim da tarde de segunda-feira, mas, para confirmar as suspeitas do médico, ele pediu que a família autorizasse a coleta de material para análise.  "O médico de Campinas pediu autorização para colher material e enviar para o Instituto Adolf Lutz. Quando o resultado ficou pronto, ele garantiu que a morte foi causada por esse tipo raro de dengue", disse. "Demorou, nem pude fazer o atestado de óbito, mas espero que essa descoberta sirva para que as autoridades façam alguma coisa para proteger a população", disse.

Caso raro

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, o Brasil registrou, até 2012 – último dado disponível - "não mais que 50 casos relatados na literatura". Entre as ocorrências registradas, não havia mortes. O médico Francisco Aoki, professor de infectologia na Unicamp (Universidade de Campinas), confirmou que casos de dengue que atacam o coração são muito raros. "Tem que tratar de uma maneira aguda, manifestações graves assim quase não ocorrem, são raríssimas", avaliou.

Segundo Márcio Roberto, a família foi informada que o caso de Dirce seria o terceiro na literatura mundial de morte por miocardite causada por dengue. "O médico disse que as outras duas foram na Ásia e que há um caso em investigação em Ribeirão Preto, mas que ainda não foi confirmado", disse. A reportagem tentou falar com o médico Luciano Tarela para confirmar a informação, mas não conseguiu contato até o fechamento da matéria.

Mortes

A RMC (Região Metropolitana de Campinas) já confirmou cinco mortes por dengue em 2014. Sumaré teve dois casos, enquanto Americana teve uma ocorrência. Campinas e Santa Bárbara aparecem com um caso cada. Além deles, outras cinco mortes estão sob investigação na região. A região de Campinas já registrou, neste ano, perto de 40 mil casos da doença.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos