PUBLICIDADE
Topo

Erro em injeção de silicone no bumbum pode ser fatal; veja melhores métodos

Camila Neumam

Do UOL, em São Paulo

16/11/2014 06h00

A injeção de substâncias para aumentar o bumbum pode levar a deformações e à morte se não for feita de forma correta. O caso recente da falsa biomédica de Goiânia (GO), presa por aplicar um gel nas nádegas de uma mulher de 39 anos, que morreu horas depois de embolia pulmonar, reforça o risco. 

O Ministério da Saúde e as sociedades médicas de cirurgiões plásticos e dermatologistas reiteram que a técnica, conhecida como preenchimento, deve ser feita exclusivamente por médicos destas duas categorias, seja para fins estéticos ou não.

A falsa biomédica diz ter usado um hidrogel da marca Aqualift nas nádegas da vítima. O uso da substância composta por poliamida e soro fisiológico, comercializada como um gel aquoso, é indicado para diminuir pequenas rugas do rosto, celulites e cicatrizes, além de redesenhar partes assimétricas do corpo, como o bumbum. No entanto, a recomendação médica é que ela seja usada em poucas quantidades, por isso não seria indicado para preencher as nádegas com a intenção de aumentá-las.

Se mal aplicado, o hidrogel pode causar deformações e se espalhar em outras partes do organismo, aumentando o risco de infecções. Ele deve ser injetado com cânulas, não agulhas para evitar que penetre algum vaso sanguíneo e cause trombose ou embolia pulmonar.

A Polícia Civil de Goiânia investiga se a falsa biomédica usou silicone industrial na vítima, substância ainda mais perigosa ao corpo humano pela alto risco de causar necrose na região em que foi aplicada e também trombose e embolia.

Hidrogel está em desuso

“O hidrogel é um preenchedor semipermanente, que pode ficar no corpo por até cinco anos aproximadamente. Não é indicado para aumentar as nádegas porque a região tem muitos vasos e o produto pode entrar por eles e causar sérios problemas”, diz a dermatologista Carolina Marçon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

De acordo com a dermatologista, o hidrogel está em desuso no mercado desde a popularização do ácido hialurônico, também usado nos preenchimentos e considerado mais seguro.

“O processo estético mais simples pode causar reações como um edema, uma inflamação, por isso usamos hoje em dia o ácido hialurônico, um derivado sintético de uma substância que já temos na pele e que dura no máximo uns 18 meses até ser absorvido pelo organismo”, diz.

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o registro do Aqualift encontra-se irregular desde março deste ano. A empresa pediu renovação em maio, mas o registro não foi renovado por falta de documentação.

A farmacêutica Marcela Gouveia, responsável técnica da Rejuvene Medical, empresa que importa o Aqualift para o Brasil, afirma que o registro está em fase de renovação e um novo pedido foi feito à Anvisa. O produto importado da Ucrânia é vendido no país pela importadora desde 2008.

Como aumentar o bumbum com segurança?

Há outros procedimentos mais confiáveis -- e sacramentados entre os cirurgiões plásticos -- para aumentar os glúteos . Um deles é a colocação de próteses de silicone ou o preenchimento de gordura retirada do próprio corpo.

João de Moraes Prado Neto, presidente nacional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, explica que o silicone colocado na prótese glútea é altamente coesivo e se manterá impregnado nos tecidos da região caso se rompa. É o mesmo tipo de prótese usado nas mamas, e considerado muito seguro.

Já o uso da gordura, devidamente purificada após a retirada, é bastante usada pois sua adesão ao corpo é fácil e sem rejeição.

“Se houver problemas com os implantes, eles podem ser retirados. Se o implante inflama, você trata com antibiótico e drena o líquido. Com o hidrogel, como ele se esparrama e impregna os tecidos, não há como remover”, afirma João de Moraes Prado Neto.

Diante dessas possibilidades, o cirurgião reitera que ambos os procedimentos devem ser feitos por médicos que conhecem bem o corpo humano e as possíveis reações a novos produtos.

“[Para estes procedimentos], exige-se conhecimentos de anatomia, que essa falsa médica não tem. O hidrogel não deve nunca ser usado em grandes superfícies. A sociedade não dá guarida para este tipo de procedimento”, diz Prado Neto.

Para evitar cair nas mãos de falsos médicos, o cirurgião plástico recomenda checar o nome do profissional que oferece o serviço no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que lista o nome de todos os médicos com registro para atuar.