Achocolatado matou criança? Veja o que é verdade e o que é boato no caso

Do UOL, em São Paulo

  • Thinkstock

Uma série de boatos tem circulado na internet após a morte de uma criança em Cuiabá (MT), na última quinta-feira (25). Segundo os pais do menino de dois anos, ele passou mal minutos após tomar uma caixinha do achocolatado Itambezinho, teve uma parada cardiorrespiratória e morreu após dar entrada na Policlínica do Coxipó.

A mãe, de 28 anos, disse ainda que ela e o tio da criança provaram um pouco do achocolatado depois do ocorrido e também sentiram tonturas e náuseas. O tio chegou a ir ao pronto-socorro.

A Polícia Civil do Mato Grosso, que investiga o caso, descartou a existência de problemas relacionados ao produto e prendeu duas pessoas suspeitas de terem envenenado as unidades com as quais a criaça teve contato. Os policiais apreenderam cinco caixas do achocolatado da marca Itambezinho na casa da vítima, três fechadas e duas abertas --a mãe disse que ganhou as caixas de um vizinho. Os pais da criança e o vizinho já foram ouvidos no início da semana. 

Ainda não foram divulgados os laudos que mostram se houve ou não envenenamento. A Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) determinou o recolhimento de um lote do achocolatado e a suspensão da venda do produto por 90 dias em todo o território nacional. 

A empresa Itambé Alimentos S/A, responsável pelo produto, realizou análises internas do lote mencionado e disse que nenhum problema foi encontrado na composição. Outras análises estão sendo feitas por laboratórios do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e pelo laboratório forense da Polícia Civil.

Houve mortes no interior de SP?

Depois que o caso repercutiu nas redes sociais, outros relatos de internações e óbitos, em diferentes cidades, passaram a ser alardeados: duas crianças teriam sido internadas após ingerirem achocolatado em Campinas (SP) e Taubaté (SP). Um áudio circulou no Whatsapp com relato com o mesmo teor.


O Hospital Estadual de Sumaré (SP), cidade vizinha à Campinas, disse à reportagem do UOL que recebeu ligações de pessoas perguntando sobre internações do tipo, após o hospital ser citado nos boatos, mas afirmou que nenhum caso relacionado a achocolatados assim foi registrado --não houve exames, internações, tampouco óbitos.

Até o momento, a Itambé não foi notificada de outros casos similares relativos ao produto que está sendo investigado.

Toddynho faz mal?

Outro boato que corre na internet é de que o achocolatado Toddynho, vendido pela PepsiCo, teria provocado hospitalizações.

A informação foi desmentida pelos próprios internautas, que percebem que houve uma confusão no compartilhamento das notícias. .


O boato sobre Toddynho contaminado cita um caso de 2014, quando a PepsiCo recolheu 8.800 unidades do achocolatado fabricadas em Guarulhos (SP).

Na época, a fabricante verificou que as unidades estavam contaminadas com uma bactéria chamada Bacillus Cereus, que poderia causar vômitos e diarreia, e avisou as autoridades sanitárias de Porto Alegre (RS), onde as unidades seriam distribuídas, que recolheu o produto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos