PUBLICIDADE
Topo

Saúde

EUA tem primeiro caso de transmissão do novo coronavírus dentro do país

24.jan.2020 - Médica usando roupas de proteção no hospital da Cruz Vermelha em Wuhan, na China. O país vive uma epidemia do novo coronavírus - AFP
24.jan.2020 - Médica usando roupas de proteção no hospital da Cruz Vermelha em Wuhan, na China. O país vive uma epidemia do novo coronavírus Imagem: AFP

Do UOL, em São Paulo

30/01/2020 14h50Atualizada em 30/01/2020 14h57

Uma pessoa próxima de um paciente diagnosticado com coronavírus nos EUA foi infectada. É o primeiro caso de transmissão do novo vírus dentro do país, segundo informou hoje o Centro de Controle e Prevenção de Doenças.

A nova paciente mora com uma mulher de 60 anos, em Chicago, que foi diagnosticada após retornar no mês passado de Wuhan, na China, epicentro do surto da doença que atinge mais de 8.000 pessoas no mundo e provocou 170 mortes.

Agora, sobe para seis o número de pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus nos EUA, sendo duas no Illinois e na Califórnia e uma no Arizona e outra em Washington.

O vírus pode ter sido transmitido através do contato direto entre humanos e animais, ou simplesmente através do ar.

Além da China e dos Estados Unidos, há casos confirmados também em Hong Kong, em Macau, em Taiwan, na Tailândia, na Austrália, no Japão, na Malásia, em Cingapura, na França, na Coreia do Sul, no Vietnã, no Canadá, na Alemanha e no Nepal.

Governo Trump cria força-tarefa

O governo de Donald Trump criou uma força-tarefa para proteger os Estados Unidos do coronavírus da China que está se espalhando rapidamente pelo mundo, e prepara a retirada de mais cidadãos norte-americanos da cidade chinesa de Wuhan.

Em um comunicado divulgado ontem, o Departamento de Estado norte-americano informou que o governo organizará voos de retiradas extras de Wuhan com capacidade para cidadãos particulares dos EUA, em 3 de fevereiro ou data próxima.

Não informou quantos aviões seriam disponibilizados para quantas pessoas, mas destacou que os passageiros estarão sujeitos a triagem, observações de saúde e requisitos de monitoramento.

Quase 200 norte-americanos, principalmente diplomatas e suas famílias, foram retirados de Wuhan esta semana e estão em quarentena voluntária em uma base militar na Califórnia.

O grupo de 12 pessoas, comandado pelo secretário de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Alex Azar, tem se reunido diariamente esta semana e também fará com que os norte-americanos tenham as informações mais recentes sobre saúde e viagens, informou a Casa Branca em comunicado.

As principais autoridades do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, o Instituto Nacional de Saúde, o Departamento de Segurança Interna, o Departamento de Transporte e o Departamento de Estado também participarão da força-tarefa, de acordo com a Casa Branca.

Saúde