PUBLICIDADE
Topo

Drauzio vê risco de coronavírus chegar ao Brasil e ataca grupos antivacinas

Drauzio Varella em entrevista para o Roda Viva, na TV Cultura - Reprodução
Drauzio Varella em entrevista para o Roda Viva, na TV Cultura Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

10/02/2020 23h43

O médico e escritor Drauzio Varella afirmou, durante entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, que é muito provável que o coronavírus chegue ao Brasil, porém ele confia que os epidemiologistas conseguirão administrar a doença.

" [O coronavírus] Vai chegar ao Brasil? Provavelmente, porque você não consegue isolar um país do resto do mundo, principalmente um país com a importância da China. Agora, vai chegar aqui em quais condições? Se chegar, vai chegar no verão", pontuou.

"O fato é que temos uma epidemiologia muito organizada no Brasil. Acho que é um orgulho do SUS (Sistema Único de Saúde) isso, o ministério em Brasília tem um corpo de epidemiologistas preparados para enfrentar. Acho que nós estamos preparados para enfrentar essa epidemia, não vejo essa gravidade que muita gente enxerga, o vírus chegando e acometendo um grande número de pessoas", acrescentou o médico.

Drauzio ainda afirmou que os dados divulgados pelo governo chinês não são completamente confiáveis, e lembrou de pesquisas norte-americanas que calcularam um número maior dos que os 40 mil infectados com o coronavírus, como informou os chineses.

"Nós não sabemos o tipo de tratamento que essas pessoas têm recebido na China. Sabemos que a China é um grande país, com um desenvolvimento absurdo, mas a verdade é que a China até algum tempo atrás tinha uma saúde pública muito precária. Estão evoluindo depressa, mas será que estão conseguindo dar um atendimento suficiente para isso? É difícil a gente saber porque é um país que vive numa ditadura e os dados são difíceis de confiar."

Antivacinas

Outro aspecto apontado por Drauzio foi sobre as "fake news" dentro da medicina, principalmente dos grupos antivacinas, que na visão do médico deveriam ser presos.

"As pessoas acreditam e você não pode nem dizer que estão sendo bobas. Vejo com a maior preocupação. Essas coisas que fazem com as vacinas. Esses grupos tinham que ser presos, estar na cadeia. Isso é um crime contra a população", analisou Drauzio.

"Como têm pessoas contra a vacina?", emendou o médico. "De onde tiram isso? Como podem ter essa liberdade de falar e serem respeitados como se fossem o outro lado. Alguns são a favor da vacina e outros são contra? Não! Alguns estão do lado da vacina porque impedem doenças. Os que são contra ou são ignorantes, muito ignorantes, ou mal-intencionados. Isso tinha que ter uma ação governamental."

Saúde