PUBLICIDADE
Topo

Paciente nos EUA passou quatro dias sem fazer testes para o coronavírus

Caso seria o primeiro de contágio local nos EUA; paciente deve passar por contraprova - Maureen Metcalfe/Azaibi Tamin/Centers for Disease Control and Prevention/Handout via Reuters
Caso seria o primeiro de contágio local nos EUA; paciente deve passar por contraprova Imagem: Maureen Metcalfe/Azaibi Tamin/Centers for Disease Control and Prevention/Handout via Reuters

Do UOL, em São Paulo

27/02/2020 13h36

Um paciente nos EUA com suspeita de covid-19 passou quatro dias sem passar por testes para coronavírus, apesar dos pedidos feitos por médicos. O suspeito seria o primeiro caso de uma pessoa no país contagiada "localmente", por uma pessoa da própria região, e não de alguém que viajou internacionalmente.

O caso aconteceu com um residente do condado de Solano, no norte da Califórnia, segundo o Departamento de Saúde Pública do estado (CDPH). O paciente chegou a um hospital local no dia 19 de fevereiro, mas só foi testado no dia 23.

Ontem, um primeiro exame apontou resultado positivo para o vírus, mas o paciente deverá passar ainda por uma contraprova. A pessoa está sendo tratada UC Davis Medical Center, hospital no condado de Sacramento, segundo o jornal Los Angeles Times.

"Diante de sua entrada (no hospital), nossa equipe perguntou a dirigentes de saúde pública se poderia ser o caso de covid-19. Pedimos um teste de covid-19 (ao Centro de Controle de Doenças e Prevenção), uma vez que nem o condado de Sacramento nem o Departamento de Saúde Pública da Califórnia faziam testes para o coronavírus no momento. Uma vez que o paciente não se enquadrava nos critérios existentes do Centro de Controle de Doenças para covid-19, um teste não foi imediatamente administrado", explicou o hospital em Sacramento, em nota.

No dia 23, por precaução, o paciente foi colocado em contato restrito. O hospital, porém, acredita que "houve um potencial mínimo de exposição" a outras pessoas. Um "número pequeno" de funcionários da instituição foi orientado a ficar em casa e monitorar a temperatura corporal.

Ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, nomeou seu vice, Mike Pence, para coordenar um programa de combate ao vírus, embora afirme que "os riscos ao povo americano permanecem muito baixos". "Temos os melhores especialistas do mundo, de verdade, bem aqui", disse Trump.

BR está preparado para a situação, afirma infectologista

Band Notí­cias

Saúde