PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Esse conteúdo é antigo

Brasil ultrapassa 850 mil casos de covid-19, revela consórcio de imprensa

Manifestação em Copacabana lembra vítimas da covid-19 - JORGE HELY/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Manifestação em Copacabana lembra vítimas da covid-19 Imagem: JORGE HELY/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

13/06/2020 19h09Atualizada em 13/06/2020 22h53

O Brasil registrou 890 novas mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 42.791 óbitos no país, aponta o levantamento do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. São 71 mortes a mais do que as 42.720 divulgadas pelo Ministério da Saúde nesta noite.

Em relação aos casos confirmados, o consórcio da imprensa apurou que são 850.796 brasileiros vítimas da covid-19. O número é superior aos 850.514 anunciados pelo Ministério da Saúde - diferença de 282.

Segundo o ministério, o país tem atualmente 428.549 casos da doença em acompanhamento e já registrou 379.245 pacientes curados.

Os dados foram revelados no mesmo dia em que o ministro interino da Saúde, general do Exército Eduardo Pazuello, afirmou que triagens em diferentes regiões do país são mais importantes que o isolamento social para combater a pandemia. A Organização Mundial da Saúde defende o isolamento como medida eficaz porque não há remédios, mas este posicionamento é criticado pelo governo federal.

O ministro interino declarou que quantos exames forem realizados, melhor. Pazuello também pediu testes nos mais diversos locais.

"Se na triagem for detectado que ele está com risco de covid, tem que ir para um médico. Tem que ter triagem no mercado, no hospital etc, para aferir temperatura, oxigenação, a pressão, ver se tem ou não característica que ele deve ir ao médico".

A questão dos exames esbarra na capacidade de estados e municípios realizarem triagens em pontos de passagem da população. O general Pazuello não enxerga um gargalo nesta situação e disse que é possível contornar a situação porque há recursos.

"Se usar de maneira correta, a capacidade de montar uma triagem é muito simples. Precisa compreender a necessidade de fazer uma triagem robusta e rápida", afirmou.

O ministro interino da Saúde ainda revelou que na próxima semana vai pessoalmente visitar alguns estados. Mas o general cometeu um erro de geografia ao chamar Porto Velho de estado. A cidade é capital de Rondônia.

São Paulo registra 1,5 mil mortes em uma semana

São Paulo registrou 1.523 mortes por covid-19 somente na última semana. Hoje, havia 10.581 óbitos causados pelo coronavírus no estado em que mais há vítimas fatais no Brasil. No sábado da semana passada, eram 9.058 mortes.

A estatística surge na segunda semana que São Paulo experimenta uma retomada gradual de alguns setores da economia, que começou em 1º de junho. O governo do estado informou que seria uma reabertura regionalizada, gradual e com condicionamento a protocolos de saúde.

Mas nem todos os compromissos assumidos pelos setores econômicos estão sendo cumpridos. Na capital, houve aglomeração na abertura do comércio de rua, shoppings populares e shoppings no primeiro dia de funcionamento.

Óbitos no ES passam de mil, e estado decreta luto

O governo do Espírito Santo decretou luto oficial enquanto o permanecer vigorando o estado de emergência em saúde pública. O anúnciou foi feito pelo governador, Renato Casagrande (PSB), neste sábado depois de o estado ultrapassar as mil mortes por covid-19.
Os dados compilados pelo consórcio de imprensa revelam que o Espírito Santo registrou 1.028 óbitos pela doença. "É uma notícia que nos entristece muito. São mais de mil pessoas mortas pelo coronavírus, [o] que mostra a violência e a intensidade da doença", declarou o governador.

Veículos se unem em prol da informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de Covid-19, os veículos de comunicação UOL, Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa a partir desta semana e buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Errata: o texto foi atualizado
O Ministério da Saúde informou que foram registrados 850.514 casos de covid-19 no Brasil. O UOL publicava 828.810 casos, informação que foi corrigida

Saúde