PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
4 meses

TV: enfermeiros denunciam que vacinas são desperdiçadas no Rio de Janeiro

Frascos da da vacina da Oxford/AstraZeneca estão sendo desperdiçados - Governo do Rio Grande do Sul/Divulgação
Frascos da da vacina da Oxford/AstraZeneca estão sendo desperdiçados Imagem: Governo do Rio Grande do Sul/Divulgação

Colaboração para o UOL

29/01/2021 11h05

Profissionais de Saúde da cidade do Rio de Janeiro estão desperdiçando doses de vacina contra covid-19 na Zona Oeste. A denúncia foi feita por enfermeiros em reportagem da Rede Globo. Depois Mônica Armada, presidente do sindicato da categoria, confirmou os relatos.

"O sindicato recebeu inúmeras denúncias de descarte de várias doses da vacina Oxford-AstraZeneca em várias clínicas e centros de Saúde. Isso tudo causou muita revolta entre os profissionais de Saúde", afirmou Mônica.

De acordo com trabalhadores que apareceram na reportagem, mas não quiseram se identificar por medo de demissão, o desperdício acontece porque as doses da vacina têm apenas seis horas de validade, depois que os frascos são abertos. As vacinas de Oxford/AstraZeneca são disponibilizadas com 10 doses em cada frasco. Quando não aparece alguém para tomar a vacina nesse período, doses são jogadas fora. Há relatos de até 9 doses que foram jogadas fora.

A prefeitura do Rio de Janeiro foi procurada pela reportagem e confirmou que as doses abertas devem ser utilizadas dentro do prazo de 6 horas. O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que, em caso de risco de desperdício, o uso das vacinas em outras pessoas que não sejam do grupo prioritário também está autorizado.

"Evite abrir frasco de dez doses ao final do dia. Caso isso aconteça, os profissionais estão autorizados a aplicar essas vacinas em outras pessoas que necessitem, dentro da unidade ou na região. Mas a orientação é para que eles evitem que isso aconteça. Isso é uma exceção para não se perder dose. E, se isso acontecer, precisa estar devidamente documentado para que não seja motivo para pessoas furarem fila", disse Soranz à TV Globo.

A Secretaria Municipal de Saúde também emitiu uma nota oficial para comentar sobre o assunto. Veja:

"Segundo orientação da fabricante Oxford/AstraZeneca, após a abertura do frasco da vacina, as doses devem ser usadas em até 6 horas. Após esse período, a vacina pode perder propriedades farmacológicas ou potência, não devendo, portanto, ser mais usada. A orientação do fabricante, portanto, é para o descarte das doses remanescentes após 6 horas da abertura do frasco. Cada frasco da Oxford/AstraZeneca contém dez doses.

Diante disso, a recomendação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é de que as unidades se programem para utilizar todas as doses do frasco no período orientado pela fabricante. Nos primeiros dias de vacinação, todas as unidades receberam centenas de pacientes desde o início da manhã, não tendo motivos para a não utilização das doses até o final dos frascos.

Ao final do dia, pode acontecer de haver um número menor de pacientes na unidade e sobrar algumas doses no frasco. Neste caso, para evitar desperdício, está excepcionalmente indicada a aplicação em outros profissionais da própria unidade, mas essa situação deve ser realizada sob supervisão, para garantir que de fato se tratem de doses excedentes à demanda do dia. Outra orientação da SMS é para, ao fim do dia, em vez de abrirem novos frascos da Oxford/AstraZeneca, as unidades usem a CoronaVac, cujo frasco contém apenas uma dose.

Com a altíssima procura neste primeiro dia de vacinação dos profissionais de saúde com 60 anos ou mais, não houve relato de desperdício de doses por este motivo".

Saúde