PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Em fase final de acordo, Anvisa se reune com representantes da Sputnik V

Ministério da Saúde já adiantou a compra da vacina mesmo sem a prévia autorização da Anvisa - Divulgação
Ministério da Saúde já adiantou a compra da vacina mesmo sem a prévia autorização da Anvisa Imagem: Divulgação

Natália Lázaro

Colaboração do UOL, em Brasília

05/03/2021 09h48Atualizada em 05/03/2021 09h48

Nas últimas tratativas para fechamento de contrato oficial com a vacina Sputnik V contra a covid-19, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai se reunir com representantes do imunizante nesta manhã, por videoconferência. Segundo apesar da iniciativa de compra por parte do governo federal, o único passo que falta para o requerimento é a autorização por parte da Anvisa.

Porém, o presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, adiantou durante sessão no Senado Federal nesta quinta-feira (4) que ainda não há nenhum pedido de autorização ou registro da vacina pela empresa. Por rito, são os desenvolvedores que devem procurar a Agência para realização do requerimento, e não o contrário.

Por meio de sua assessoria, a Anvisa disse que a o encontro vai reunir o "o fundo de investimento russo que está tratando do desenvolvimento da vacina SputnikV". Mas, o tema da pauta não foi adiantado, tratando-se de um encontro "diplomático" com a assessoria internacional.

O Ministério da Saúde já adiantou a compra da vacina mesmo sem a prévia autorização da Anvisa. No debate, Torres se mostrou favorável às negociações, o que deve agilizar o processo de liberação no Brasil.

Antes de fechar acordo com a Pfizer e Jansses, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que a Sputnik V está "em processo das tratativas finais", alegando que está tentando antecipar os acordos para chegada do imunizante russo. Mesmo sem a autorização, já há um cronograma de previsão de chegada da vacina. Em março, o Brasil deve receber 400 mil doses da Rússia, seguidos pelos 2 milhões em abril e 7,6 milhões em maio.

Saúde