PUBLICIDADE
Topo

Saúde

SP terá vacina da gripe em escolas e campanha focada em criança e gestante

Siga o UOL no

Leonardo Martins, Rafael Bragança e Rai Aquino

Do UOL e colaboração para o UOL, em São Paulo

08/04/2021 13h15

A Prefeitura de São Paulo anunciou hoje uma mudança no plano de vacinação contra a gripe Influenza. Para evitar que os grupos prioritários de vacinação da influenza e da covid-19 se sobreponham, a Secretaria Municipal de Saúde decidiu concentrar a primeira fase da imunização contra o vírus da gripe em crianças e gestantes, além dos trabalhadores da área da saúde.

A vacina da Influenza já está disponível na rede privada, mas a gestão municipal vai começar a campanha de imunização na próxima segunda-feira (12), focada em crianças com idade entre seis meses e seis anos. Segundo a Prefeitura, esse grupo engloba mais de 866 mil pequenos.

É uma mudança de público, sempre os idosos entram também nessa primeira fase de vacinação, mas desta vez em função da covid priorizamos a vacinação de covid para os idosos e fizemos essa inversão para que a gente não cruze os públicos e locais.
Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde

Vale ressaltar que, atualmente, o estado de São Paulo vacina contra a covid-19 idosos a partir de 68 anos. No dia 14 de abril, começa a imunização para idosos de 67 anos.

O secretário Edson Aparecido disse que o município irá utilizar a estrutura escolar na aplicação das vacinas contra a influenza.

"A vacinação da influenza no município de São Paulo será aplicada exclusivamente em escolas e estabelecimentos de educação. Estamos separando exatamente por conta da vacinação de covid, que tem ocorrido nos nossos mega drive-thrus e nas 468 unidades básicas de saúde", afirmou. "A ideia é que a gente não faça qualquer aglomeração ou cruzamento dessas populações que vão estar recebendo dois tipos de vacinas diferentes."

Estimativa da população que será vacinada contra a gripe em São Paulo  - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Estimativa da população que será vacinada contra a gripe em São Paulo
Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Segundo Aparecido, "pessoas que estiverem com covid ou que tiveram covid há menos de 28 dias devem adiar a vacinação do influenza". "Também deve se dar um intervalo de 14 dias de 14 dias entre a vacina contra a covid, seja a primeira ou segunda dose, e a vacina de influenza", alertou.

Outras vacinas

A Prefeitura também anunciou a disponibilização de vacinas contra outras doenças neste mês. São imunzantes contra a poliomelite, sarampo, febre amarela e rotavirus, além da vacina pentavalente, que protege contra tétano, difteria, hepatite, coqueluche e meningite.

O público-alvo inicial dessas vacinas também serão crianças e gestantes. "Muitas mães e crianças não foram vacinadas neste ultimo ano por conta de não comparecerem ou não poderem ir [a um posto de saúde] e as dificuldades todas impostas pela pandemia", disse Aparecido.

"É fundamental que as crianças tenham um conjunto de vacinas e por conta da pandemia, com mais de um ano e quatro meses, parte dessas crianças não tomaram nenhuma vacina", concluiu o secretário.

Saúde