PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
15 dias

Salvador pode vacinar pessoas com comorbidades a partir da próxima semana

Salvador deve abrir vacinação para pessoas com comorbidades - Getty Images/iStockphoto
Salvador deve abrir vacinação para pessoas com comorbidades Imagem: Getty Images/iStockphoto

Colaboração para o UOL

14/04/2021 11h41

Salvador (BA) deve começar a terceira fase de vacinação na próxima semana, dessa vez a prioridade vai para pessoas adultas com comorbidades. A faixa etária é de 18 a 59 anos, já que habitantes a partir de 60 foram classificados como idosos na campanha da cidade.

A CIB (Comissão de Intergestores Bipartite) reuniu representantes estaduais e municipais de saúde para decidir a ordem de atendimento desse grupo na Bahia. Por lógica de potencial de exposição ao covid-19, foi decidido que primeiramente serão imunizados pacientes com doenças renais crônicas em tratamento de hemodiálise.

Depois, a vacinação será para pessoas portadoras de Síndrome de Down, transplantados, imunossuprimidos, pacientes de outras doenças renais, pneumopatias crônicas graves, indivíduos com doença cérebro vascular e, por último, com doenças hepáticas crônicas ou cirrose hepática.

Para fazer parte dessa campanha de imunização, o paciente deve ser cadastrado pelo médico que o acompanha no site montado pela Prefeitura de Salvador. "Aqueles que não tiverem especialista particular poderão contar com o apoio das instituições que atuam na causa para o preenchimento do formulário na página eletrônica da SMS (Secretaria Municipal de Saúde)".

Além do paciente, um médico que o acompanha e possui registro no Cremeb (Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia) precisará preencher alguns dados inicialmente. Será necessário dizer em qual comorbidade a pessoa se encaixa.

Ontem, 32 cidades baianas reportaram o recebimento de frascos da vacina CoronaVac com menos doses do que o normal - em um recipiente, é possível extrair 10 doses, mas esse lote rendia apenas seis. Segundo a Prefeitura de Salvador, 21,4 mil vidros vieram com o problema.

A secretaria municipal de Saúde notificou o Ministério de Saúde sobre isso. O órgão nacional foi procurado pelo UOL e disse que a orientação é que estados e municípios registrem no formulário técnico quando não for possível aspirar o total de doses declaradas nos rótulos das vacinas. A pasta federal acrescentou que as ocorrências serão investigadas.

Saúde