Três são processados por ocultar prova de água com chumbo em Flint, nos EUA

Em Washington

  • Brittany Greeson/The New York Times

    Menina brinca com boneca em banho improvisado com água de garrafa em Flint

    Menina brinca com boneca em banho improvisado com água de garrafa em Flint

Três funcionários foram formalmente acusados, nesta quarta-feira, pela falsificação dos resultados de laboratório e ocultamento de provas no marco do escândalo pela água contaminada com chumbo que afeta a cidade americana de Flint, anunciou o promotor-geral de Michigan.

Michael Glasgow, supervisor do laboratório e da qualidade da água de Flint, assim como Stephen Busch e Michael Prysby, funcionários do departamento de qualidade ambiental do Estado de Michigan, foram processados por 2, 5 e 6 acusações pelo juiz do tribunal de Genesse, explicou o promotor-geral Bill Schuette.

Os acusados teriam modificado os resultados das análises de água com o objetivo de baixar a porcentagem de contaminação com chumbo, que eles sabiam que seria superior às normas, "pondo em perigo a saúde de famílias e cidadãos de Flint", explicou Schuette.

Com o objetivo de economizar, o governador Rick Snyder havia decidido, em abril de 2014, abastecer Flint com água proveniente de um rio local, ácida e contaminada. A água, muito corrosiva, deteriorou os canos de chumbo, expondo os habitantes ao envenenamento e potenciais pertubações no desenvolvimento psicomotor das crianças, entre outras doenças.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos