Facebook se desculpa por banir imagem 'indesejável' de modelo 'plus size'

Sydney, 24 Mai 2016 (AFP) - O Facebook voltou atrás, na segunda-feira, depois de ter proibido um anúncio australiano que mostrava uma modelo 'plus size' de biquíni, cujo objetivo era promover uma imagem física positiva, alegando que a foto apresentava "partes do corpo de uma forma indesejável".

O gigante das redes sociais bloqueou o anúncio do 'Cherchez la Femme', grupo feminista australiano, afirmando que a imagem da modelo 'plus size' Tess Holliday violava as "diretrizes de anúncios" da empresa.

O anúncio era sobre um encontro que será realizado em Melbourne para debater padrões de beleza - ou "feminismo e gordura", na descrição do evento.

Quando os organizadores questionaram a decisão, a equipe de anúncios do Facebook respondeu por escrito que o anúncio não estava em conformidade com a sua "política de saúde e fitness", porque "a imagem representa um corpo ou partes do corpo de uma forma indesejável".

"Anúncios como estes não são permitidos, já que eles fazem os usuários se sentirem mal consigo mesmos", afirma a carta dirigida à organizadora do grupo Jessamy Gleeson, que postou o documento nas redes sociais.

Gleeson disse que estava chocada com o fato de o Facebook "aparentemente não ter ideia de que mulheres 'plus size', que se descrevem como gordas, podem se sentir ótimas com elas mesmas".

Ela pediu aos seguidores do grupo que "se enfureçam com qualquer um que tente nos dizer que alguns corpos são mais 'desejáveis' que outros".

"O Facebook ignorou o fato de que nosso evento vai discutir a positividade do corpo (que vem em todas as formas e tamanhos, mas no caso particular do nosso evento, corpos gordos)", escreveu Gleeson.

Em vez disso, o Facebook "concluiu que temos a intenção de fazer as mulheres se sentirem mal com si próprias ao publicar uma imagem de uma mulher 'plus size' maravilhosa", disse a organizadora.

Após a repercussão, o Facebook pediu desculpas por suas ações, enviando na segunda-feira uma nota à Gleeson na qual admitia que tinha revisado o anúncio de maneira incorreta.

"Nossas políticas têm o objetivo de ajudar a proteger a comunidade a partir de anúncios ofensivos que podem prejudicar sua experiência na nossa plataforma", diz o documento, também publicado por Gleeson no Twitter.

"Este não é o caso e eu sinto muito por nossa revisão incorreta. Nós avaliamos milhões de anúncios por semana e há casos em que nós desaprovamos incorretamente uma imagem que não viola nossas políticas", completa o documento.

mfc/mp/ceb/jv/db/mvv

Facebook

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos