Tigres são retirados de templo acusado de maus-tratos na Tailândia

Em Kanchanaburi

  • AP

    Tigre sedado é retirado de templo na província de Kanchanaburi, a oeste de Bangcoc, na Tailândia

    Tigre sedado é retirado de templo na província de Kanchanaburi, a oeste de Bangcoc, na Tailândia

Os monges do "Templo dos Tigres", na Tailândia, foram obrigados a aceitar nesta segunda-feira (30) a retirada dos felinos, que atraiam inúmeros turistas, após anos de controvérsia.

A retirada de dezenas de tigres deve durar vários dias. Os primeiros foram transportados no final do dia por funcionários do departamento de Parques Nacionais, segundo um fotógrafo da AFP no local.

"Os responsáveis foram autorizados a entrar no recinto do templo depois que o tribunal de Kanchanaburi ordenou a operação", afirmou o departamento de Parques Nacionais.

O "Templo dos Tigres", situado na província tailandesa de Kanchanaburi, fez muito sucesso entre os turistas, encantados de poderem ser fotografados junto aos felinos. O templo estava sendo acusado, há algum tempo, por ter se tornado mais uma atração turística do que um lugar de espiritualidade.

Os responsáveis do local rejeitaram as acusações de maus-tratos e tráfico de animais. Os monges explicaram que a passividade dos tigres, com os quais os turistas tiravam "selfies", era conseguida graças ao adestramento, e não a remédios.

As autoridades tentaram confiscar os tigres em abril de 2005, pois o templo não possuía os documentos necessários. Porém, na época, os monges se opuseram.

Desta vez, a decisão foi tomada após diversas negociações entre as duas partes.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos