Bombardeio durante funeral mata mais de 80 no Iêmen

Em Sanaa

Pelo menos 82 pessoas morreram e 534 ficaram feridas em ataques aéreos lançados pela coalizão militar liderada pela Arábia Saudita contra uma sala de eventos no sul da capital iemenita, Sanaa, informou o porta-voz do Ministério da Saúde do governo dos rebeldes houthis, Ghazi Ismail.

Em entrevista coletiva, ele pediu a todos os médicos especialistas que se dirijam ao local para "salvar os feridos" e apelou aos cidadãos para que façam doações de sangue.

O ataque aconteceu quando centenas de pessoas faziam uma homenagem à mãe do ministro do Interior do governo insurgente, general Jalal ali al-Rawishan, que morreu recentemente, em um salão de eventos do bairro de Al Jamsin.

"Dezenas de cidadãos morreram como mártires ou foram feridos neste ataque da aviação (...) saudita-americano", disseram rebeldes houthis no site Sabanews.net, em referência à coalizão árabe sob liderança saudita, que opera no Iêmen há mais de 18 meses.

Essas fontes não informaram se Ruichene e outras personalidades estavam presentes no momento do ataque.

O general Jalal Al Ruichene, que foi nomeado ministro do Interior pelo presidente Abd Rabbo Mansur Hadi, permaneceu no seu cargo depois que os houthis conquistaram a capital, Saná, em setembro de 2014, quando sua revolta conseguiu tomar o poder de Hadi, que está exilado na Arábia Saudita.

Organizações de defesa dos direitos humanos acusam a coalizão de cometer "erros" depois que setores civis foram atingidos por bombardeios.

Vítimas da guerra, 1,5 milhão de crianças passam fome no Iêmen

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos