Onda de frio na Europa deixa 17 mortos

  • Gregorio Borgia/AP Photo

    A fonte da Praça São Pedro, no Vaticano, amanheceu congelada neste sábado (7)

    A fonte da Praça São Pedro, no Vaticano, amanheceu congelada neste sábado (7)

A Europa está sofrendo com uma onda de frio, com temperaturas glaciais que causaram a morte de dez pessoas na Polônia, sete na Itália e deixaram Istambul paralisada pela neve.

Moscou, por sua vez, tem o Natal ortodoxo mais frio em 120 anos.

Dez pessoas morreram de frio em dois dias na Polônia, onde as temperaturas caíram abaixo dos -20º Celsius em algumas regiões, anunciou o Centro Governamental de Segurança Nacional (RCB).

O balanço de vítimas pode se agravar neste fim de semana, já que a temperatura permanecerá abixo dos -20º C.

A polícia pediu à população que permaneça alerta em caso de sinais de hipotermia, em particular quanto aos moradores de rua.

Moscou, onde as temperaturas caíram a -30 graus durante a noite, teve o Natal ortodoxa mais frio em 120 anos, segundo a agência oficial RIA Novosti.

Em São Petersburgo (noroeste), onde a temperatura caiu a -24 C°, a polícia achou o corpo de um homem morto por hipotermia na noite de sexta.

Istambul paralisada

Uma tempestade de neve atingiu neste sábado a megalópole turca de Istambul, paralisando a cidade, provocando a anulação de centenas de voos e a interrupção do tráfego no Estreito de Bósforo.

As previsões meteorológicas anunciam neve para todo o dia e as temperaturas permanecerão abaixo de zero nos próximos dias.

Em 24 horas, 40 centímetros de neve cobriram Istambul, perturbando o tráfego rodoviário e aéreo.

Na vizinha Bulgária, os corpos de dois imigrantes foram achados congelados em uma floresta do monte de Strandja (sudeste), perto da fronteira com a Turquia.

Um migrante afegão de 20 anos também foi achado morto pelo frio durante a semana no norte da Grécia, onde as autoridades anunciaram ter realojado os refugiados em barracas de campanha com calefação.

Atenas registrou zero grau neste sábado e o norte do país -15.

As temperaturas mais frias desse inverno na Suíça foram medidas na manhã de sexta, em La Brévine (-29,9 graus a 1.000 metros de altura). Esta localidade detém o recorde absoluto de frio na Suíça: -41,8 graus em 12 de janeiro de 1987.

Os países balcânicos padecem com a onda de friio com temperaturas até -27 graus em regiões montanhosas da Bósnia, e sul e sudeste da Sérvia.

Mas o frio não impediu aos fiéis ortodoxos participar na sexta-feira, no porto albanês de Durres, nos tradicionais banhos gelados por ocasião da Epifania.

Frio na Alemanha e Itália 

Estas temperaturas glaciais na Europa - que duram até domingo - são causadas por massas de ar polar que baixam da Escandinávia até o centro do continente.

A Alemanha também viveu sua noite mais fria, com -26°C registrados em duas cidades bávaras (sul) e -25°C em Oberstdorf (sudeste), enquanto que os termômetros caíram a -15°C em Berlim.

Ao menos 7 pessoas morreram nas últimas 48 horas na Itália devido à onda de frio. Foram cinco sem-teto, entre eles dois poloneses.

A Itália registrou importantes nevascas, principalmente no centro.

Também nevou na Sicília, sul do país.

Os serviços meteorológicos preveem novas nevasca ao longo do fim de semana.

A neve perturbou o tráfego ferroviário e obrigou ao fechamento dos aeroportos de Brindisi e Bari, no sul.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos