Washington não apoia expulsão da Venezuela da OEA

Washington, 24 Mar 2017 (AFP) - Os Estados Unidos não apoiam a expulsão da Venezuela da Organização dos Estados Americanos (OEA), declarou nesta quinta-feira um porta-voz, assinalando a necessidade de se debater no organismo continental a crise no país.

"Sejamos claros, não estamos promovendo a expulsão da Venezuela da OEA neste momento", disse o porta-voz do departamento de Estado, Mark Toner. "Mas pensamos que a OEA é o local apropriado para se examinar a atual situação na Venezuela".

Em um relatório apresentado na semana passada, o secretário-geral da OEA, Luis Almagro, pediu a suspensão da Venezuela como membro do organismo caso não haja eleições em breve no país, "livres, justas e transparentes".

Apesar de Washington se distanciar do pedido de expulsão, Toner disse que os EUA compartilham a "preocupação sobre o estado da democracia na Venezuela, exposto detalhadamente no relatório" de Almagro.

Caracas reagiu com dureza, denunciando o comunicado como uma "ingerência contra a Venezuela na OEA".

"Que pretendem? Agredir a Venezuela?! Denunciaremos estas ações país por país. Não admitiremos agressão alguma contra nossa pátria sagrada", disse no Twitter a chanceler venezuelana, Delcy Rodríguez.

No dia 14 de março passado, Almagro entregou ao Conselho Permanente da OEA um pedido de aplicação da Carta Democrática e de suspensão da Venezuela como membro da organização.

Além da realização de eleições, Almagro avaliou urgente a libertação de cerca de 100 opositores presos, a restituição das competências do Parlamento e a ativação da assistência humanitária para enfrentar a escassez de alimentos e medicamentos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos