Trump diz que designará novo chefe do FBI em breve

Washington, 13 Mai 2017 (AFP) - O presidente americano, Donald Trump, disse neste sábado que agirá rapidamente para designar um novo diretor do FBI, após a controversa demissão de James Comey, há alguns dias, que ainda gera críticas em Washington.

O governo de Trump - envolvido em uma controvérsia que aumentou com a demissão súbita e suas diferentes explicações sobre suas razões - entrevistará os quatro primeiros candidatos para o posto neste sábado, disseram meios de comunicação americanos.

"Podemos tomar uma decisão rápida", disse Trump aos repórteres a bordo do avião presidencial Air Force One antes de voar ao sul da Virgínia, onde planeja pronunciar um discurso em uma formatura da Liberty University, um centro de estudos evangélico.

A Casa Branca não fixou um prazo para o processo de substituir Comey.

Consultado se a decisão poderia ser tomada antes de sua viagem à Arábia Saudita na sexta-feira, Trump respondeu: "inclusive isso é possível".

Trump descreveu os candidatos que são considerados para o posto como "gente de destaque", "muito conhecida" e "do mais alto nível".

Neste sábado, o procurador-geral Jeff Sessions e seu adjunto Rod Rosenstein entrevistarão o diretor interino do FBI, Andrew McCabe, o senador do Texas John Cornyn, o ex-procurador federal Michael Garcia e a ex-procuradora geral adjunta Alice Fisher, indicou ao jornal The New York Times citando fontes próximas às reuniões.

Há quase uma dúzia de candidatos considerados para o posto.

A designação de um novo diretor do FBI que seja independente da Casa Branca será esquadrinhada estreitamente enquanto Trump enfrenta uma avalanche de críticas por demitir Comey, que estava encarregado de uma investigação criminal sobre os possíveis laços de sua equipe de campanha com a Rússia.

McCabe, que fez carreira como agente no FBI, participou de muitas investigações de alto nível, incluindo a dos atentados na maratona de Boston em 2013 e o ataque contra o consulado americano em Benghazi, na Líbia, em 2012.

Nesta semana, McCabe contradisse Trump, ao declarar a senadores que Comey tinha grande apoio dentro das fileiras do FBI, e que o caso da suposta interferência russa nas eleições americanas era uma "investigação altamente significativa".

Cornyn, o número dois do Partido Republicano no Senado, foi procurador geral do Texas antes de ser eleito senador, em 2002.

Garcia foi número dois do Serviço de Imigração e Controle Alfandegário e procurador-geral sob o ex-presidente George W. Bush.

Fisher liderou a divisão criminal da procuradoria geral sob Bush.

Outros candidatos são o ex-delegado da polícia de Nova York Raymond Kelly, a ex-senadora republicana Kelly Ayotte e o legislador da Carolina do Sul Trey Gowdy, um ex-procurador geral que liderou a investigação do ataque em Benghazi na Câmara de Representantes.

O designado por Trump deve ser confirmado pelo Senado, onde os democratas e alguns republicanos criticaram ferrenhamente a demissão de Comey.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos